Contribuindo com o desenvolvimento econômico, fábrica de leite em pó vive um novo tempo em Macuco

Em 2016, Macuco recebeu o título de capital do leite do Estado do Rio de Janeiro. O título foi dado através de uma lei estadual

Reestruturação conduzida com responsabilidade socioambiental, respeito às leis, garantias trabalhistas, integração técnica, trabalho em equipe e, principalmente, valorização do ser humano privilegiando a ‘prata da casa’. Esses são os segredos do sucesso da CRELAC, empresa que no dia 01 de abril assumiu a fábrica de leite em pó de Macuco, localizada nas proximidades do Rural Park, e já imprime a sua marca.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Reconhecendo o talento dos ‘filhos da terra’
Adotando visão humanitária e futurista, a CRELAC valoriza os profissionais macuquenses. A equipe é basicamente composta de jovens talentos locais, funcionários qualificados que contribuem para a qualidade do produto final. “Não tínhamos como mostrar nosso talento e saíamos daqui para trabalhar. Agora isso mudou e nós, filhos de Macuco, somos prestigiados e agradecidos”, diz Vinícius Vanelli, do setor de RH, falando em nome de seus companheiros.

E não para por aí. Com esse comportamento participativo, a fábrica está mantendo todas as garantias trabalhistas para os funcionários, incluindo salários rigorosamente em dia, boa alimentação no local de trabalho, está reorganizando cargos e salários e realiza testes periódicos de Covid-19, com os resultados dos exames saindo no mesmo dia através de laboratório particular, assegurando a boa saúde de toda a equipe.

Economia forte e proteção ao meio ambiente
Contribuindo com o desenvolvimento econômico e social do município, a CRELAC segue preceitos técnicos desenvolvidos por profissionais capacitados e comprometidos com as exigências de órgãos especializados. “Atuamos em concordância com as diretrizes do Serviço de Inspeção Federal”, garante Walterly de Jesus, gerente em Macuco e carinhosamente chamado de Dr. Guido.

Isso já pode ser notado pelas mudanças positivas promovidas para sanar um problema recorrente e incômodo. O mau cheiro que anteriormente exalava durante a produção da indústria láctea, afetando o dia a dia dos moradores e incomodando as famílias, está sendo resolvido e a direção atribui a resolução ao respeito e compromisso com as questões ambientais. Novos investimentos estão sendo projetados para evitar os impactos ambientais. “É obrigação e compromisso da empresa cuidar do meio ambiente”, confirma Dr. Guido.

Marcelo Castro, químico da empresa, relatou que um trabalho conjunto detectou a origem do problema, redundando na execução de um rigoroso monitoramento para garantir a eficácia da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto). “Os resultados estão sendo satisfatórios e estamos, juntamente com o engenheiro Paulo Rodrigues, enfatizando esses trabalhos preventivos dentro de nossa indústria”, colocou Castro.

Bom entrosamento público-privado
Dizendo-se satisfeito e agradecido pelas oportunidades dadas aos jovens macuquenses, que estão sendo absorvidos pela mão de obra da indústria de leite em pó, o prefeito Bruno Boaretto destacou que isso mostra que Macuco está se preparando gradativamente para a retomada econômica. “Em breve teremos aqui novas empresas e aos poucos vamos converter isso em geração de emprego e renda”, aposta Boaretto.

Avaliando como positiva a receptividade da Gestão Municipal, o representante da CRELAC voltou a enaltecer os profissionais locais, reafirmando que uma empresa apenas com liderança não dá certo. “Somos um time, com diversidades, mas forte e proativo. Nossas máquinas produzem alimentos, mas nossa matéria prima primordial é a pessoa humana. Nosso produto maior é a contribuição na formação de cidadãos e no crescimento com sustentabilidade e responsabilidade social”, concluiu Dr. Guido.

Texto e imagens: Ricardo Vieira

VEJA MAIS

VEJA MAIS