quinta-feira , 29 outubro 2020

Contador esclarece dúvidas e dá dicas sobre o que fazer com o dinheiro do FGTS

Fotos: SF Notícias

Na última terça-feira (14/02), foi divulgado pelo Governo o calendário de saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A medida fez os trabalhadores lotarem as agências da Caixa Econômica buscando esclarecer dúvidas.

Segundo a própria Caixa, o FGTS foi criado com o objetivo de proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho. Nela, os empregadores depositam o valor de 8% do salário de cada funcionário.

Podem sacar aqueles que pediram demissão ou tiveram o contrato finalizado por justa causa até o dia 31 de dezembro de 2015. Para sacar, basta comparecer a uma agência ou correspondente (no período de saque referente ao calendário) com documento de identificação com foto, Carteira de Trabalho e número de inscrição no PIS/PASEP.

De acordo com o contador, Sebastião Fernando de Souza Gomes, se o dinheiro não tiver sido depositado pelo empregador, existem dois caminhos para o ex-funcionário. “Existem situações em que o empregador não depositou e ai tem dois caminhos, procurar o empregador e tentar convencê-lo a depositar e se não conseguir por meios amigáveis, vai ter que procurar a superintendência do Ministério do Trabalho e buscar a justiça para obrigar” – explica.

Para o contador, os trabalhadores devem aproveitar a oportunidade para quitar as dívidas. “Está todo mundo apertado, não se pode gastar, mas tem muita gente devendo. Quando eu devo, por exemplo, o cheque especial, é uma vantagem pegar esse dinheiro quitar e não usar mais. Devo o cartão de crédito, mais vantagem ainda, negocio, busco reduzir as taxas de juros e quito” – disse.

Caso o trabalhador não possua dívidas, ele pode optar pela poupança que rende mais que o FGTS ou em fundos de investimentos. “Existem fundos de investimentos que são mais seguros, assim como tem os títulos da dívida pública do Governo que rendem mais que a poupança e os fundos”.

Sebastião afirma que investir também é uma opção. “Se tiver um valor razoável, pode investir na aquisição de bens ou se você já tem um bem parcelado pelo sistema de casa própria da Caixa, você pode usar o valor para abater o financiamento” – ressalta.

O trabalhador pode consultar a conta inativa através do site da Caixa Econômica, digitando o número do PIS/PASEP ou nas agências levando os documentos. Baixe agora o aplicativo do SFn no seu celular! https://goo.gl/w4WvaY.

Mais do SFn