Conta de luz: Aneel propõe aumento de até 57% nos valores das bandeiras tarifárias

A Agência Nacional de Energia Elétrica abriu consulta pública e propôs aumento nos valores das bandeiras amarela e vermelha patamar 1; veja como participar da consulta pública

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs aumentos superiores a 50% nos valores das bandeiras tarifárias amarela e vermelha 1, que acrescentam valores extras na conta de luz. A Aneel aprovou a abertura da Consulta Pública nº 012/2022, referente à atualização anual dos adicionais e das faixas de acionamento das bandeiras tarifárias. Espera-se que os novos valores, após análise das contribuições da consulta pública, sejam aplicados a partir de junho de 2022.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Segundo a proposta da ANEEL, a bandeira verde, assim como em anos anteriores, não terá custo para o consumidor e servirá para sinalizar condições favoráveis de geração de energia. De acordo com o diretor-geral da ANEEL, André Pepitone, um estudo apresentado à ANEEL pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) aponta que a previsão de que esta seja a bandeira vigente até dezembro é superior a 97%. “Durante o atual período úmido, estamos tendo muitas chuvas e os reservatórios estão sendo abastecidos”, explicou o diretor.

Pelo valor sugerido na consulta pública, a bandeira amarela passaria por um aumento de 56%, de R$ 1,874 a cada 100 quilowatts (kWh) para R$ 2,927 no mês, e o da bandeira tarifária vermelha patamar 1 passaria de R$ 3,971 para R$ 6,237, alta de 57%. No caso da bandeira vermelha patamar 2 haveria uma pequena redução de 1,70%, passando de R$ 9,492 a cada 100 kWh para R$ 9,330.

A proposta, no entanto, ainda pode sofrer alterações durante a consulta pública. A sociedade poderá avaliar a proposta da Agência e enviar sugestões até 4 de maio.

Como participar?

A consulta pública estará disponível para contribuições entre 14/4 e 4/5/2022 pelo e-mail . Os documentos relacionados poderão ser acessados na página da ANEEL, no espaço da Consulta Pública n º 012/2022. 

VEJA MAIS

VEJA MAIS