“Ciclone bomba” traz ventos fortes para o RJ: Inmet e CPTEC emitem alertas para cidades litorâneas

Segundo o Serviço Meteorológico Marinho, também há previsão de ressaca, com ondas entre 2,5 e 3,5 metros de altura, na faixa litorânea entre os estados de Santa Catarina, e do Rio de Janeiro, ao sul de Arraial do Cabo, até a noite desta quinta (02)
Imagens ilustrativas

O “ciclone bomba” – forte ciclone extratropical que se organizou na costa da Região Sul do Brasil – também deve influenciar estados do Sudeste ao longo desta quarta-feira (01/07). O Estado do Rio deve ser afetado por fortes rajadas de vento, o que já vem ocorrendo em alguns municípios. Segundo a Climatempo, todo ciclone extratropical, e os ciclones de forma geral, são áreas de baixa pressão atmosférica. Mas, um ciclone é chamado de “ciclone bomba” quando a pressão atmosférica no seu centro cai 24 hPa em um período de 24 horas. Devido à esta situação de atenção, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) emitiram alertas para municípios do litoral fluminense, entre eles São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, a praia de Farol de São Thomé, em Campos dos Goytacazes, Rio das Ostras e Macaé. (continua após a publicidade)

Fotos: Reprodução

Também há previsão de ondas, em alto mar, de direção Sudoeste a Sul, entre 3 e 4 metros de altura, entre os estados do Rio de Janeiro, ao norte de Arraial do Cabo, e da Bahia, ao sul de Caravelas, entre a noite do dia 1º de julho e a manhã do dia 03 de julho, segundo o Serviço Meteorológico da Marinha. Há ainda previsão de ressaca, com ondas de direção Sul a Sudeste, entre 2,5 e 3,5 metros de altura, na faixa litorânea entre os estados de Santa Catarina, ao norte de Florianópolis, e do Rio de Janeiro, ao sul de Arraial do Cabo, entre a manhã do dia 1º de julho e a noite do dia 02 de julho. A aproximação de uma frente fria poderá provocar rajadas de vento de até 74 km/h na faixa ao norte de Arraial do Cabo até o sul de Guarapari, no Espírito Santo, até a manhã desta quinta (02).

VEJA MAIS

VEJA MAIS