Caso de suposto estupro de criança em São Fidélis ganha repercussão nacional; polícia segue investigando

Casal teve a casa invadida, depredada e o homem foi agredido. Polícia já identificou os autores das agressões. Em várias publicações o nome da criança é indevidamente exposto
Imagens: SF Notícias

A Polícia Civil de São Fidélis, no Norte Fluminense, instaurou dois inquéritos para investigar a história envolvendo um suposto abuso sexual de uma criança de 7 anos no município. Um dos inquéritos investiga o suposto crime; já o outro, investiga a invasão da casa e a agressão sofrida pelo homem, que vem sendo acusado nas redes sociais de ter abusado da criança. Segundo a Polícia Civil, o caso vem sendo investigado desde a semana passada quando familiares levaram a criança até o hospital e à delegacia, após suspeitarem de que a menina teria sofrido abuso. As partes envolvidas já haviam prestado depoimento, mas nesta segunda-feira (09), após uma publicação ter sido feita nas redes sociais, a história viralizou na cidade, em municípios vizinhos e em vários outros estados do Brasil. A versão – ainda não confirmada – postada e que viralizou diz que a criança teria sido estuprada pelo companheiro da mãe, e com consentimento dela. A publicação, que vem ganhando várias outras versões em perfis de outros estados do Brasil, também está acompanhada da foto do casal. Em algumas postagens, o nome da criança é indevidamente exposto.

Ao SF Notícias, o delegado Dr. Rodolfo Maravilha, que responde nesse momento pela 141ª DP de São Fidélis, disse que todos os fatos ainda estão sob investigação para apurar se houve crime ou não, o que aconteceu e a autoria caso tenha ocorrido o crime. O delegado disse também que todos os fatos, inclusive os laudos, serão confrontados no decorrer do inquérito policial com rigor técnico e testemunhal. Ainda de acordo com o delegado, a criança passa bem e está sob cuidados da família paterna. Ele disse ainda que o Conselho Tutelar acompanha o caso, assim como psicólogos prestam atendimento a menina. Por não haver até o momento nenhuma comprovação de crime ou de autoria, o casal segue em liberdade, e aguarda a conclusão da investigação. Segundo a polícia, o casal nega que tenha ocorrido o crime.

Revolta, depredação e agressão
A história contada nas redes sociais gerou revolta na população, e ainda na segunda-feira, quando a versão publicada nas redes sociais viralizou, outra postagem foi feita sobre um protesto na frente da casa do casal. O imóvel foi invadido, depredado e o homem agredido (reveja a matéria AQUI). A mulher não foi agredida como vem sendo divulgado em algumas postagens. A Polícia Militar informou que o casal conseguiu fugir para a casa de um vizinho, e foi retirado do local com a chegada de policiais militares. O casal foi levado para o hospital da cidade, e uma multidão se concentrou na frente da unidade. A PM precisou montar um esquema de segurança na frente da unidade. Após receber atendimento, o casal foi retirado do hospital pelas portas dos fundos e levado para a delegacia, onde um grupo ainda maior se concentrou. A Polícia Militar cercou a rua da delegacia e foi pedido reforço de policiais que estavam de folga e de militares de Campos dos Goytacazes, cidade vizinha. Por questões de segurança, o casal foi levado para a delegacia de Campos, onde foi feito o registro de invasão ao imóvel e da agressão. Em relação ao inquérito que investiga a agressão, o delegado Dr. Rodolfo Maravilha disse que já foram identificadas as pessoas que participaram do ato. A casa do casal foi periciada.

Repercussão nacional e Trending Topics
O caso ganhou repercussão nacional através das redes sociais. Dezenas de perfis pedindo justiça pela criança foram criados no Instagram. No Twitter, um dos assuntos do Trending Topics (Assuntos do Momento) é a hashtag criada pelos usuários com pedido de justiça. No Facebook e demais redes sociais, publicações com fotos do casal e várias versões de como o abuso teria ocorrido tiveram milhares de compartilhamentos. O caso também é tema de diversos vídeos no YouTube, Tik Tok e foi divulgado em vários portais de notícias de projeção nacional como Uol, Ig e O Globo.

VEJA MAIS

VEJA MAIS