Cambuci confirma mais uma morte por Covid-19; vítima é uma mulher de 50 anos

Entre o começo de março e o dia 20 de abril foram confirmadas 13 mortes em Cambuci

O município de Cambuci, no Noroeste Fluminense, confirmou mais uma morte de um morador diagnosticado com Covid-19. A vítima é uma mulher, de 50 anos, que estava internada no hospital de Bom Jesus do Itabapoana. Desde o início da pandemia até hoje, o município já registrou 701 casos de Covid-19, sendo que 656 moradores se recuperaram e 21 perderam a vida. No momento há 24 casos ativos da doença em Cambuci, sendo que 11 pessoas estão internadas. Dos internados, quatro estão em Cambuci e sete em hospitais de outras cidades.

Variante detectada no município
A variante do novo coronavírus conhecida como B.1.1.7, descoberta no Reino Unido em setembro do ano passado, foi encontrada em amostras de dois pacientes do município. A informação foi divulgada pelo médico diretor clínico do Hospital Moacyr Gomes de Azevedo, e confirmada ao SF Notícias pelo setor de epidemiologia.

A variante britânica pode ser responsável por aumentar o risco de mortalidade. Uma pesquisa publicada na revista científica “Nature”, uma das mais importantes do mundo, sugere que pacientes infectados com a variante britânica do coronavírus, a B.1.1.7, têm risco de morrer de Covid 61% maior do que aqueles infectados com outras variantes do vírus. Conforme a margem de erro do estudo, o risco maior de morte pode variar de 42% a 82%. A variante já foi encontrada em mais de 90 países.

A identificação da variante nos pacientes de Cambuci foi feita através do sequenciamento do vírus. No mês passado a Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro iniciou uma pesquisa para identificar a incidência das novas cepas na população fluminense. O estudo, que busca entender mais sobre as modificações sofridas pelo SARS-CoV-2, será um dos maiores na área de sequenciamento do vírus da Covid-19 do país, com a análise de 4.800 amostras nos próximos seis meses, sendo 400 a cada 15 dias. O objetivo do sequenciamento é monitorar a evolução das variantes da Covid-19, melhorar ações epidemiológicas e possibilitar a ampliação precoce de números de leitos e de medidas restritivas.

VEJA MAIS

VEJA MAIS