Brasil registra 4 mil mortes por Covid em um dia e pandemia pode continuar em níveis críticos em abril, alerta Fiocruz

Dados apurados pelos pesquisadores da Fiocruz revelam novo aumento da taxa de letalidade, que passou de 3,3% para 4,2%, contra 2% no final de 2020. Segundo a Fiocruz, o vírus Sars-CoV-2 e suas variantes permanecem em circulação intensa em todo o país

Nesta terça-feira (06/04), o Brasil registrou 4.211 mortes por Covid-19 batendo pela primeira vez a trágica marca de 4 mil óbitos confirmados em um único dia, totalizando 337.364 vítimas desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias ficou em 2.775. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +22%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa.

Já para o Ministério da Saúde foram 4.195 óbitos, totalizando 336.947. Pelo órgão, ainda há 3.598 mortes em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente.

Os números de casos, mortes e ocupação dos leitos, principalmente os de UTI, só vêm aumentando nas últimas semanas. Em um Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz, a Fiocruz alertou que a pandemia do novo coronavírus pode permanecer em níveis críticos durante o mês de abril. O boletim confirma que o vírus Sars-CoV-2 e suas variantes permanecem em circulação intensa em todo o país, o que pode estender a crise sanitária e dos sistemas e serviços de saúde nos estados brasileiros e suas capitais.

Outro fator agravante é a sobrecarga dos hospitais, com elevado índice de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI). Os dados apurados pelos pesquisadores da Fiocruz revelam ainda novo aumento da taxa de letalidade, que passou de 3,3% para 4,2%, contra 2% no final de 2020. Os pesquisadores advertem que a expansão da letalidade pode ser consequência da falta de capacidade de se diagnosticar correta e oportunamente os casos graves, somada à sobrecarga dos hospitais.

Com informações do consórcio de veículos de imprensa e Agência Brasil

VEJA MAIS

Anvisa determina recolhimento de lotes interditados da vacina CoronaVac

Mais de 12 milhões de doses foram envasados em fábrica não autorizada pela Agência e tinham sido interditadas no início do mês. É importante ressaltar que a CoronaVac permanece autorizada no país e possui relação benefício-risco favorável ao seu uso no Brasil

VEJA MAIS