Bombeiros já atenderam a mais de 30 ocorrências de incêndio em vegetação em São Fidélis

Na maior parte das ocorrências, os incêndios foram provocados pela ação humana e criminosa. A queimada de lixo doméstico é considerada crime ambiental
Fotos: SF Notícias

Municípios da região não registram uma chuva significativa há mais de três meses. A estiagem deixa a vegetação seca e eleva ainda mais os riscos de incêndio nessa época do ano, mas a ação humana e criminosa é a maior causadora de incêndios na região e no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Para se ter uma ideia, entre janeiro e julho desse ano, o Destacamento 2/5 do Corpo de Bombeiros de São Fidélis já atendeu a 36 ocorrências de incêndio em vegetação. De acordo com o Corpo de Bombeiros, na maior parte dessas ocorrências registradas em São Fidélis, moradores colocaram fogo para queimar lixo e outros materiais e, por seguinte, perderam o controle e as chamas se alastraram rapidamente com a vegetação seca e o vento, necessitando da atuação das equipes da corporação para extinção das chamas e evitar que elas tomassem proporções ainda maiores. Devido às condições climáticas, o Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) colocou municípios da região em grau de risco crítico de incêndios florestais. (continua após a publicidade)

A queimada de lixo doméstico é considerada crime ambiental. A pena deste crime, segundo a lei de crimes ambientais, quando praticado na modalidade dolosa, é de reclusão de um a quatro anos e multa, sendo que quando o crime é culposo esta pena é de detenção de seis meses a um ano e multa. Os incêndios colocam os moradores em risco, poluem o meio ambiente e provocam problemas respiratórios. As chamas provocadas pela queima do lixo podem se alastrar e atingir áreas de proteção ambiental, destruindo a mata e matando os animais. Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, é de extrema importância que atos como estes deixem de ser praticados. “Esta prática é de extremo risco nessa época do ano, pois o longo período de estiagem, a baixa umidade do ar, temperaturas elevadas e os ventos fortes, são misturas perfeitas para transformar um simples fogo no lixo em uma grande fogo em vegetação ou incêndio florestal, que pode devastar grandes áreas de mata, podendo também afetar casas e ainda resultar em perda de vidas“, diz a nota enviada ao SF Notícias.

VEJA MAIS

VEJA MAIS