Bebê agredido pelo pai em São Fidélis sofre parada cardiorrespiratória e é intubado

Segundo a assessoria de imprensa da unidade hospitalar, a parada cardiorrespiratória ocorreu em decorrência de uma broncoaspiração. O bebê foi sedado e intubado

O quadro de saúde do bebê de apenas dois meses, que foi brutalmente agredido pelo próprio pai em São Fidélis, no Norte Fluminense, voltou a se agravar. No sábado (17/04) o tio da criança usou seu perfil em uma rede social para informar que ele havia sofrido uma parada cardiorrespiratória e foi reanimado pela equipe da UTI pediátrica. De acordo com a assessoria de imprensa do Hospital Ferreira Machado, onde o bebê está internado desde o último dia 2, a parada cardiorrespiratória ocorreu em decorrência de uma broncoaspiração. “Houve uma piora em seu quadro. Após uma broncoaspiração voltou a ser sedado e intubado. O bebê permanece sendo acompanhando por uma equipe interdisciplinar que avaliará quando poderá ocorrer a redução gradual da sedação” – diz a nota enviada pela unidade hospitalar ao SF Notícias.

continua após o vídeo

Neste domingo o tio do menino voltou a usar as redes sociais para pedir orações e disse que ele se encontra no mesmo estado, intubado e com sonda. “Se Deus quiser ele vai sair dessa. Conto com a oração de todos” – disse. O bebê vinha apresentando melhoras na última semana. Ele estava estável, com boa evolução clínica, urinando bem e respirando boa parte do tempo sem o auxílio de equipamentos.

Polícia Civil concluiu inquérito sobre o caso
A Polícia Civil de São Fidélis concluiu o inquérito policial que investigava a agressão sofrida pelo bebê. A informação foi dada ao SF Notícias pelo delegado titular da 141ª Delegacia de São Fidélis, Dr. Carlos Augusto Guimarães. O delegado manteve os termos da prisão em flagrante, sendo o pai indiciado pelos crimes de tortura e lesão corporal, e a mãe por tortura e por omissão. O inquérito já foi enviado ao Ministério Público que irá analisar e decidir por quais crimes denunciará o casal, reveja AQUI.

VEJA MAIS

VEJA MAIS