Árvores são queimadas e cortadas na zona de amortecimento do Parque Estadual do Desengano, em São Fidélis Policiais ambientais constataram o desmatamento em uma área de aproximadamente 80.000 m²

Policiais ambientais constataram o desmatamento em uma área de aproximadamente 80.000 m²

Fotos: Polícia Ambiental

Agentes da 3ª Unidade de Polícia Ambiental do Parque Estadual do Desengano encontraram uma área de desmatamento de aproximadamente 80.000 m² na zona de amortecimento do Parque Estadual do Desengano, na zona rural de São Fidélis. Os policiais foram ao local após denúncias. Segundo a Polícia Ambiental, parte da área desmatada fica em Área de Proteção Permanente (APP) por estar próximo a uma nascente e seu fluxo. No local, árvores de pequeno e médio porte com características de nativas, e as de grande porte foram aneladas e o material lenhoso resultante, amontoado em sua base e ateado fogo. O proprietário do local não foi encontrado no momento da fiscalização, mas foi identificado. O caso foi registrado na 141ª Delegacia Legal de São Fidélis, onde é investigado. A Polícia Técnico Científica foi acionada para realizar uma perícia no local. (continua após a foto)

Há duas semanas, policiais ambientais constataram desmatamento e outros crimes ambientais em uma área de aproximadamente 25 hectares que fica na Zona de Amortecimento do Parque Estadual do Desengano, Área de Proteção Permanente (APP) por estar às margens do Ribeirão Morumbeca. A área fica a menos de 2 quilômetros do Parque. Árvores foram arrancadas, outras amontoadas e outras aparentemente soterradas. Foi constatada, ainda, a construção de quatro barragens/tanques, também em área de proteção (reveja AQUI)

Mais do SFn