Após servidores testarem positivo para Covid, prédio da Prefeitura de Pádua é fechado para higienização

Nesta semana a Prefeitura de Pádua decretou ‘lockdown’ de sete dias em Paraoquena e Campelo

O prédio da Prefeitura de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, ficará fechado nesta quinta e sexta-feira (26) para que todas as instalações do prédio possam ser higienizadas. A medida está em um decreto que foi publicado nesta quarta-feira. A medida considera o alto número de servidores que testaram positivo para Covid-19 nesta semana, e o risco de contaminação do espaço de trabalho no prédio onde funciona a administração pública.

continua após a imagem

‘Lockdown’ em distritos
Nesta semana a prefeitura decretou ‘lockdown’ de sete dias no distrito de Paraoquena e na localidade de Campelo, e barreiras sanitárias foram instaladas no distrito. O sinal de alerta foi ligado após mortes de moradores do distrito de Paraoquena diagnosticados com coronavírus. O objetivo das barreiras, segundo a prefeitura, é de achar possíveis casos para não deixar o vírus se propagar ainda mais, além de chamar atenção dos moradores sobre o uso de máscaras. Nas barreiras serão feitas testagem de temperatura. No período de sete dias (até 1º de março) fica vedado a qualquer indivíduo a permanência e o trânsito em vias públicas, salvo para deslocamento por força de trabalho, para ida a serviços de saúde ou farmácias, para compra de insumos alimentícios e congêneres essenciais à subsistência, bem como para ida a estabelecimentos autorizados a atender ao público, e ainda os profissionais, professores e pesquisadores das instituições de ensino e pesquisa que atuam em parceria com o município para desenvolvimento de soluções para o combate à pandemia.

Casos de Covid-19
Segundo o boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira, há 22 casos ativos de Covid-19 nesse momento em Paraoquena. É o local com maior número de casos ativos do boletim. Desde o início da pandemia até hoje, Pádua já registrou 2.876 casos da doença, sendo que 2.670 paduanos já se recuperaram e 64 morreram.

VEJA MAIS

VEJA MAIS