Após cinco meses, paciente internado em estado grave se recupera da Covid-19 e recebe alta no RJ De acordo com a secretaria de saúde do estado, o paciente chegou a ficar três meses em coma induzido em decorrência de complicações da Covid-19

De acordo com a secretaria de saúde do estado, o paciente chegou a ficar três meses em coma induzido em decorrência de complicações da Covid-19

Fotos: divulgação SES

Um recomeço; um dia em que ficará marcado para sempre na história da família Valeriotte. É que no último dia 10 de setembro o senhor Roberto Valeriotte, de 58 anos, recebeu alta após se recuperar da Covid-19. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), ele foi internado com coronavírus no Instituto Estadual de Doenças do Tórax Ary Parreiras (IETAP) no dia 20 de abril, em estado gravíssimo, e chegou a ficar três meses em coma induzido em decorrência de complicações da doença. Desde o dia de sua internação, em 20 de abril, até o final de julho, Roberto permaneceu em coma induzido, em decorrência de uma pneumonia bacteriana que, segundo a equipe médica, seria uma complicação da Covid-19. O paciente seguiu a internação respondendo bem ao tratamento prestado pelos profissionais. Na primeira semana de agosto, a família recebeu o melhor presente do Dia dos Pais: Roberto acordou do coma e, em 9 de agosto, a equipe da unidade fez uma chamada de vídeo com a filha única do paciente, Anne Valeriotte, de 31 anos. (continua após a publicidade)

“Foi uma alegria tão grande poder ver e falar com meu pai, depois de tanto tempo. Sempre recebíamos notícias dele por telefone, os profissionais sempre foram muito carinhosos, mas, nada supera a emoção de poder vê-lo naquele dia, mesmo que por chamada de vídeo. Agradeço muito à equipe do Ary Parreiras que nos proporcionou esse momento”. Em decorrência da pandemia, as unidades de saúde estão com as visitas suspensas ou restritas por medida de segurança. Isso significa que a família estava há cinco meses sem ver pessoalmente, tocar e dar um abraço no ente querido que, segundo Anne Caroline, era mais do que presente em suas vidas. Já a esposa de Roberto, Luciane Valeriotte, casada com ele há 33 anos, aguardava ansiosamente para ter novamente seu grande companheiro de vida ao lado. “A gente é unha e carne, onde está um, o outro está também. Não imagino minha vida sem ele ao meu lado. São muitos anos de companheirismo e estamos muito felizes por tê-lo conosco novamente”, declara a auxiliar de enfermagem. (continua após a publicidade)

Roberto Valeriotte, de 58 anos, foi um dos primeiros pacientes com Covid a dar entrada no Ary Parreiras, em abril. Foi a Anne Caroline Valeriotte que foi buscar o pai na unidade, pois a mãe pertence ao grupo de risco. Minutos antes de ver o pai, Anne falou da expectativa para o reencontro. “Nossa expectativa é retornar para casa e viver com muita felicidade. Se milagre existe, sei que aconteceu com meu pai. Só Deus sabe o quanto ele é importante em nossas vidas. Por isso, agradecemos de todo coração o carinho e atenção de todos do Ary Parreiras”. Roberto, com a voz baixa e aparentando ansiedade para retornar para casa, deixou clara sua maior prioridade na vida. “Sinto muita falta da minha esposa e da minha netinha, a Julia. Estou também com muita saudade de casa e da minha família. A minha família é tudo para mim”. Segundo dados do Painel Saúde RJ, que concentra os dados de Covid-19, o estado do Rio já registrou 242.491 casos de coronavírus, sendo que 220.090 pacientes já estão recuperados, entre eles, o Roberto. Mas, infelizmente, 16.990 pessoas perduram suas vidas na luta contra a doença.

Mais do SFn