Anvisa concede registro definitivo da vacina da Pfizer contra a Covid-19

De acordo com a Pfizer, resultados dos estudos de fase 3, envolvendo mais de 44 mil voluntários e já publicados em revista científica qualificada, mostraram que globalmente a eficácia da vacina foi de 95%

Imagem: Justin Tallis/AP/ Uol

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu nesta terça-feira (23/02) o registro definitivo à vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Pfizer, em parceria com a empresa de biotecnologia alemã BioNtech. A concessão do registro foi anunciada pelo diretor-presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres. Ele destacou que a análise para a liberação do imunizante levou 17 dias. “O imunizante do Laboratório Pfizer/BioNTech teve sua segurança, qualidade e eficácia aferidas e atestadas pela equipe técnica de servidores da Anvisa que prossegue no seu trabalho de proteger a saúde do cidadão brasileiro. Esperamos que outras vacinas estejam em breve sendo avaliadas e aprovadas. Esse é o nosso compromisso” – disse o Diretor-presidente.

A vacina da Pfizer é a primeira a obter o registro definitivo no Brasil. O imunizante se chama Cominarty. A empresa entrou no dia 6 de fevereiro com o pedido de registro definitivo da vacina, entretanto, o imunizante ainda não está disponível no país. Em dezembro, a Pfizer havia anunciado que não faria pedido para uso emergencial da sua vacina no Brasil, e que seguiria o processo de submissão diretamente para um registro definitivo. À época, a empresa disse considerar o procedimento “mais célere”, além de mais amplo. A Anvisa destacou ainda que “o registro abre caminho para a introdução no mercado de uma vacina com todas as salvaguardas, controles e obrigações resultantes dessa concessão”. Agência Nacional de Vigilância Sanitária realizará às 17h30, uma entrevista coletiva sobre o registro definitivo da vacina da Pfizer, que será transmitida pelo YouTube AQUI.

De acordo com a Pfizer, os resultados dos estudos de fase 3, envolvendo mais de 44 mil voluntários e já publicados em revista científica qualificada, mostraram que globalmente a eficácia da vacina contra a COVID-19 foi de 95%, com esquema de duas doses. Os dados demonstraram também que a vacina foi bem tolerada, sendo que nenhuma preocupação séria de segurança foi observada.
Com informações da Agência Brasil

VEJA MAIS

VEJA MAIS