A primavera já começou! Estação deve ter chuvas acima da média em grande parte do Sudeste Segundo a Climatempo, durante a primavera de 2020, a previsão é de que ocorram convergências de ventos forçando maior concentração de umidade sobre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, facilitando a ocorrência de chuva

Segundo a Climatempo, durante a primavera de 2020, a previsão é de que ocorram convergências de ventos forçando maior concentração de umidade sobre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, facilitando a ocorrência de chuva

Fotos: SF Notícias

A primavera de 2020 começou oficialmente às 10h31, no horário de Brasília, desta terça-feira (22) e prossegue até às 7h02 do dia 21 de dezembro. Em quase todo o Brasil, segundo a Climatempo, a primavera é uma estação de transição do clima seco e frio do inverno para o clima quente e úmido do verão. A palavra primavera vem do latim primo vere, que pode ser entendida como o “primeiro verão”. Na estação das flores, as chuvas deixam de ocorrer exclusivamente com a passagem de frentes frias, como é comum no Inverno, e voltam as pancadas que são resultado do tempo abafado nos estados do Sudeste. Essas pancadas de chuva são rápidas, ocorrem sempre à tarde ou à noite, e são bem volumosas. Apesar de causarem transtornos, são necessárias para a elevação do nível das represas, que cai bastante durante a estiagem de Inverno, e para a melhora da qualidade do ar. Ainda segundo a Climatempo, desde o começo de setembro, as águas do oceano Pacífico Equatorial Leste estão com temperatura abaixo da média. É este resfriamento que caracteriza o fenômeno oceânico-atmosférico La Niña que, como o El Niño (aquecimento acima do normal do Pacífico Equatorial Leste), modifica o padrão de chuva e de temperatura em diversas regiões do planeta. A expectativa é de que este evento La Niña seja fraco e de curta duração. (continua após a publicidade)

No Sudeste do Brasil, não se pode estabelecer uma relação direta do fenômeno La Niña com a precipitação sobre a Região. A maior influência é na temperatura que tende a ficar um pouco abaixo do normal. A previsão é de que ocorram convergências de ventos forçando maior concentração de umidade sobre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, facilitando a ocorrência de chuva. Em novembro e em dezembro, a chuva será mais frequente e volumosa sobre Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) também prevê chuvas acima da média em grande parte da região Sudeste para os próximos três meses. Com o retorno das chuvas mais regulares no mês de novembro, a previsão indica o predomínio de temperaturas próximas ou ligeiramente abaixo da média.

Mais do SFn