Vítima de Acidente Vascular Encefálico, paciente recupera movimentos após tratamento no HFM

Foram 20 dias de tratamento intensivo com fisioterapia que possibilitaram a recuperação de todos os movimentos.

Quem encontra o Seu José hoje de pé, andando e sorridente, não imagina o quanto ele batalhou para se recuperar de um Acidente Vascular Encefálico (AVE). Ele foi internado no Hospital Ferreira Machado (HFM) depois de ter sido encontrado caído no chão frio, sem conseguir andar. O paciente passou por tratamento intensivo de fisioterapia durante 20 dias e recuperou todos os movimentos. Seu José fez um tratamento usando o cicloergômetro, um equipamento bem prático, que ajuda no condicionamento cardiovascular fortalecendo os membros inferiores e superiores.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Um dos fisioterapeutas responsáveis pelo tratamento do Seu José, Glauco Denes, não mediu esforços para que o Seu José voltasse a se locomover sozinho, mas ressaltou o empenho do paciente. “Seu José teve uma recuperação bem acelerada porque teve bastante força de vontade. Fizemos um tratamento com cicloergômetro, que o Hospital adquiriu recente e nos ajudou bastante”, ressaltou.

Seu José comemorou o resultado do tratamento e contou que durante sua internação fez amizade com os profissionais de saúde e celebrou até o seu aniversário com eles. “Em pouco tempo eu consegui andar, isso graças a Deus e aos fisioterapeutas, que me ajudaram a melhorar. Foi um ótimo trabalho de equipe. Ao Hospital eu dou nota 10, pois desde o começo fui bem atendido”, relatou.

Centro Clínico do HFM
O Centro Clínico do Hospital Ferreira Machado conta com uma equipe multidisciplinar, formada por psicólogos, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional (TO), fisioterapeutas e assistentes sociais, dentistas oferecendo atendimentos de média e alta complexidade em pacientes que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC), Acidente Vascular Encefálico (AVE), Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), paralisia infantil, amputados, entre outros casos.

Por: Júlio Tinoco

VEJA MAIS

VEJA MAIS