Vem chuva aí? Revoadas de cupins são registradas em São Fidélis, Cambuci, Italva e outras cidades

Para algumas pessoas o aparecimento dos insetos está associado à chegada da chuva. Atraídos pela luz, dezenas deles se aglomeraram em postes
Fotos: SF Notícias

Na noite desta quarta-feira (19/08) uma grande quantidade de insetos, principalmente em postes, chamou a atenção de moradores de cidades da região, como São Fidélis, Cambuci, Cardoso Moreira e Italva. Esses “bichinhos de luz” são cupins, chamados popularmente de siriris ou aleluias. Para algumas pessoas, as revoadas de cupins alados são prenúncio de chuva, e de fato, há previsão de chuva para a região nos próximos dias. Segundo relatos de moradores, ao apagar as luzes dentro de casa, os cupins se aglomeravam nos postes. De acordo com o biólogo Francis Leandro, presidente da ONG SOS Vida Silvestre, são vários os fatores que levam ao aparecimento desses insetos, mas, de fato, a aproximação da chuva está relacionada. “Um dos motivos que podem fazer com que eles apareçam é a aproximação da primavera, e também por conta do aquecimento” – explica. (continua após a publicidade)

A revoada está associada à chegada da chuva porque alguns desses insetos constroem ninhos no solo, que no momento está seco devido à estiagem, e os cupins têm dificuldade para penetrá-lo. Ao sentir que a chuva se aproxima, eles saem de seus habitats para a fundação de novas colônias, pois o solo estará úmido. “É importante falar sobre essa situação para alertar as pessoas por conta deles poderem adentrar as residências e acabar se instalando nos móveis” – destaca o biólogo. Por outro lado, eles são inofensivos aos humanos, sendo predados por tatus e tamanduás. “Caso haja um desequilíbrio, se tivermos uma superpopulação de cupins é um problema não só na floresta, mas também nas áreas urbanas. Por isso é importante ter o meio ambiente em equilíbrio pra haver um controle” – afirma Francis.

VEJA MAIS

VEJA MAIS