União e solidariedade: famílias atingidas pelas chuvas em S.J. do Paraíso recebem móveis e eletrodomésticos

Mais de 35 famílias foram beneficiadas através de uma “vaquinha online”. Foram doados guarda-roupas, fogões, geladeiras, sofás, camas, entre outros itens
Fotos: Divulgação

Quase 40 famílias foram beneficiadas através de uma “vaquinha online” criada por um ex-morador do distrito de São João do Paraíso, em Cambuci, Noroeste Fluminense. No dia 18 de novembro, o distrito foi atingido por fortes chuvas e teve 90% de sua área habitada inundada. Muitas famílias perderam tudo o que tinham, algumas conseguiram salvar poucas coisas, mas graças a ajuda de voluntários que se mobilizaram e promoveram campanhas de arrecadação, aos poucos estas famílias estão se reerguendo. Um desses voluntários é o Fábio Iorio, que é ex-morador do distrito, onde sua família ainda reside. Ele criou uma “vaquinha online” que arrecadou mais de R$ 25 mil. Com o valor foram adquiridos 03 Geladeiras; 01 Fogão 5 bocas; 01 Fogão 4 bocas; 01 Lavadora;16 guarda-roupas de 4 portas; 05 guarda-roupas de 6 portas; 02 camas de casal; 02 conjuntos de sofá; 04 armários de cozinha; 01 cômoda e 01 Rack.

Os eletrodomésticos e móveis foram doados para 37 famílias. “Algumas pessoas foram em algumas casas atingidas, procurar saber das necessidades das famílias. Além disso, não somos um meio do governo, somos apenas um grupo de amigos que se propuseram a ajudar. Fizemos o possível pra atingir o máximo de famílias” – relata Fábio, que prestou todas as contas sobre a vaquinha em suas redes sociais (veja AQUI). Grande parte do que foi comprado já foi entregue no último dia 16, mas outra parte será entregue no dia 22.

Uma das piores cheias já enfrentadas
Na madrugada do dia 18 de novembro um temporal atingiu a sede do município (Cambuci) e os distritos de Monte Verde, Cruzeiro e São João do Paraíso. Toda água que caiu nos distritos de Cruzeiro e Monte Verde seguiu para o último distrito, onde 90% da área habitada foi inundada. Mais de 4 mil pessoas foram atingidas. Após a água ter baixado, o que ficou foi muita lama e destruição; na frente das residências havia móveis, colchões, eletrodomésticos e outros pertences perdidos durante a cheia. Esta foi considerada uma das piores cheias da história do distrito, a última havia ocorrido em novembro de 2018.

VEJA MAIS

VEJA MAIS