Saúde confirma presença de mais uma variante da Covid no estado do RJ

Essa é a sexta variante detectada no estado. A nova cepa foi encontrada em Porto Real, no Sul Fluminense

O Estado do Rio de Janeiro confirmou na última terça-feira (22/06) a presença de mais uma variante da Covid-19 em circulação no estado. A nova cepa foi descoberta em meados de abril e é descendente da linhagem B.1.1.28, que está em circulação em todo o país desde meados de 2020. A descoberta foi feita pelo monitoramento genômico da Rede Corona-Ômica-RJ, e a variante foi nomeada como P.5.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

A nova variante foi detectada em um morador do município de Porto Real, no Sul Fluminense. A nova linhagem P.5 tem a mesma estrutura da cepa original, porém sofre mutações no spike —“coroa” do vírus que se liga à célula humana. Segundo a secretaria estadual de Saúde ainda não é possível dizer que ela seja mais letal ou transmissível. Veja abaixo quais variantes já foram identificadas no estado.

  1. P.2: localizada no Noroeste.
  2. P.1 (Gamma): é a que tem mais incidência no estado e a mais encontrada em cada uma das seis regiões do Rio;
  3. P.1.2: mais encontrada no Norte e no Noroeste;
  4. B.1.1.7 (Alpha): detectada no Norte;
  5. B.1: cepa identificada entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021;
  6. P.5: descoberta em Porto Real.

O estudo que detectou a nova variante faz parte de uma parceria entre a Secretaria de Saúde, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), do Laboratório de Virologia Molecular da UFRJ, do Laboratório Central Noel Nutels, da Fiocruz, Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro e Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Até o momento, os dados coletados pelos pesquisadores mostram que a cepa mais comum no Rio continua sendo a P.1 — rebatizada de “gamma” pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Foi observada também uma “baixa frequência” da variante VOC B.1.1.7 (Reino Unido) e uma redução da P.2, desde novembro do ano passado.

Com informações: Extra / G1

VEJA MAIS

VEJA MAIS