Projeto de castração já atendeu 14 animais de rua em São Fidélis

Parceria entre a Prefeitura e a Câmara está possibilitando a castração dos animais que vivem pelas ruas do município. Seleção é feita pela Associação de Proteção Animal (APA-SF)
Fotos: Divulgação

Já foi iniciado, em São Fidélis, Norte Fluminense, o processo de castração dos animais que vivem pelas ruas do município, através de uma parceria entre a Prefeitura e a Câmara Municipal de Vereadores, com apoio da Associação de Proteção Animal (APA-SF). Até o momento, de acordo com a veterinária Késya Alice, da clínica vencedora da licitação, já foram castrados 14 cães, entre fêmeas e machos. “Nós iniciamos o projeto com os animais das localidades do Horto e Parque de Exposições. Haviam muitos animais lá ao redor que são abandonados. Castramos fêmeas e machos que permitam o manejo (não sejam agressivos), clinicamente saudáveis, que sejam de rua de fato” – explica a profissional. Segundo ela, também foram castrados alguns animais do Parque Tinola e Rua da Igualdade. O processo de seleção e recolhimento dos animais é realizado pela APA-SF. Após a cirurgia, eles são encaminhados para um local no Parque de Exposições, onde recebem os cuidados do pós-operatório, como medicações e curativos, com acompanhamento da clínica veterinária. Segundo o Secretário Municipal de Agricultura, Pedro Luiz Barroso, há um funcionário responsável pelo trato dos cães e limpeza do ambiente. “Ele e mais algumas pessoas da secretaria passam regularmente para dar uma olhada, para alguma observação, conferir se soltou curativo, para dar o retorno a veterinária responsável pelas castrações, que também é responsável pelos curativos do pós-operatório. São ambientes arejados, com cobertura e fechados para que não ocorra fuga” – disse. (continua após a publicidade)

A presidente da APA-SF, Michelle Duarte, informou que a associação também está recebendo indicações de protetores de cada bairro, mas que está sendo verificado se os animais vivem realmente na rua. “A castração é somente para animais de rua. Cães já resgatados são de responsabilidade do tutor, já que ao assumir a responsabilidade se subentende-se os gastos pertinentes. Por esse motivo quando nos indicam os animais tomamos cuidado de saber se realmente é de rua. A castração está ainda no setor, Coroados, Lixão, Cooperativa. E irá alcançar todos bairros” – disse. Ela ressaltou que a APA é um grupo pequeno sem fins lucrativos. “Fazemos um trabalho de formiguinha, muitas pessoas nos buscam, mas esquecem que não temos abrigo nem nenhum tipo de verba, salvo pelas rifas ou vaquinhas eventuais quando assumimos algum caso, como o Negão, cão que teve a perna quebrada e passou por um longo tratamento pós-cirúrgico e se recuperou. Em São Fidélis o engajamento da população é muito pouco. A recuperação dos animais pós-castração tem um espaço de apoio no Parque de Exposição, porém pedimos a população que ao indicar animais também possa pensar na possibilidade de dar lar temporário, pois seria bom para o animal ver um rosto conhecido após a cirurgia. As fêmeas precisam de exame de sangue um dia antes da castração, por isso o apoio da população à causa é muito importante” – destacou.

VEJA MAIS

VEJA MAIS