Produtores de Bom Jesus e Varre-Sai vencem o V Concurso de Cafés Especiais do Rio de Janeiro

Com mais de 2 mil produtores, a cafeicultura fluminense tem um faturamento médio de R$ 133.730.143,00. A Região Noroeste, de onde saíram os vencedores do concurso, é responsável por 80% da produção do estado

Imagens: Sítio Vai e Volta (capa)/ Carlos Magno

O melhor café do Rio de Janeiro é da Região Noroeste, representado pelos cafeicultores Estanislau Kortika, do Sítio Duas Barras, em Bom Jesus do Itabapoana, e Fidelis Rodolphi, do Sítio Vai e Volta, em Varre Sai, que venceram o V Concurso de Cafés Especiais do Rio de Janeiro. O produtor de Fidelis, do Sítio Vai e Volta, foi o vencedor do concurso na categoria úmida, onde os cafés são descascados e depois desidratados. Já o produtor Estanislau levou o prêmio na categoria via seca. A final foi realizada nesta terça-feira (07) no Palácio Guanabara e contou com a participação do secretário de Agricultura, Marcelo Queiroz e representantes da ASCARJ, Sebrae Rio e cafeicultores do estado.

Com mais de dois mil produtores, a cafeicultura fluminense tem um faturamento médio de R$ 133.730.143,00, e se destaca sendo a principal fonte de renda no setor agropecuário de alguns municípios. Além de ser a terceira cultura com maior área explorada e a segunda com maior número de produtores, estando entre as 10 com o maior faturamento, mostrando a importância econômica e social do café no Rio de Janeiro. A Região Noroeste, de onde saíram os vencedores do concurso, é responsável por 80% da produção do estado.

continua após a imagem

O secretário de Agricultura, Marcelo Queiroz, destacou o trabalho da pasta e a atuação de todos os participantes que enviaram as amostras para o concurso. “É um dia muito especial no Palácio Guanabara, com a quinta edição do Concurso de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro. Esse setor que vem ganhando destaque em todo mundo, graças ao incrível trabalho da Secretaria de Agricultura em parceria com a Associação de Cafeicultores (ASCARJ), Sebrae RJ, Emater-Rio e Cooperativas. Um trabalho em conjunto em prol do desenvolvimento do café aqui no nosso estado. A cafeicultura fluminense é referência em qualidade, nossos produtores podem contar com todo o suporte da pasta para ajudar no fortalecimento da cadeia produtiva do café” – afirmou o secretário de Agricultura.

Na categoria via úmida também se destacaram os produtores Alyne Rodolphi, de Varre-Sai, em segundo lugar, Maria Rodolphi, de Varre-Sai, em terceiro, Maria Adriana Erthal, em quarto e Everardo Erthal, em quinto, ambos de Bom Jardim, na Região Serrana. Já na categoria via seca, o segundo lugar foi para José Eugênio Erthal, de Bom Jardim, o terceiro, Geraldo Zanirate, de Porciúncula, e o quarto para Cristiane Menezes, de Varre-Sai. “O trabalho técnico de qualificação de empreendedorismo agrícola fluminense tem sido muito bom. Para o Sebrae tem sido uma grande oportunidade participar desse concurso, pois assim podemos exercer nosso papel de fortalecer o empreendedor rural” – ressalta o diretor do Sebrae Rio, Sergio Malta.

VEJA MAIS

VEJA MAIS