Prefeitura quer mudança de local de uma das praças de pedágio na RJ-116

A intenção é remover a praça de pedágio no km 1,9, em Itaboraí para o km 12, próximo à divisa com Cachoeiras de Macacu

Com objetivo de alterar a localização da praça do pedágio da RJ-116 na divisa dos municípios de Itaboraí e Cachoeiras de Macacu, o representante do prefeito de Itaboraí, Marcelo Delaroli, o vice-prefeito e secretários participaram de uma reunião com o presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp), Murilo Leal. A proposta foi apresentada ao Agetransp, atendendo reivindicação das lideranças empresariais, comunitárias, produtores rurais, comerciantes e cidadãos. Na ocasião, ficou acertado que haverá uma negociação com a concessionária Rota-116 para ver as possibilidades para a mudança.

A intenção é remover a praça Pedágio no km 1,9, em Itaboraí para o km 12, próximo à divisa com Cachoeiras de Macacu. A mudança vai beneficiar os moradores do 4º Distrito, sendo os bairros Sambaetiba, Agro Brasil, Alto do Jacu, Chácaras Bela Vista, Parque Nova Friburgo e Quinta dos Colibris. Todos ficam nas margens da Rodovia Presidente João Goulart, administrada pela concessionária Rota 116.

“Nós entendemos que ter esse pedágio dividindo o município de Itaboraí implica na vida da população que precisa se deslocar até o Centro e pagar pedágio no seu trajeto de ida/volta, inclusive os agricultores. Além de ter a tarifa mais cara de todo o estado, hoje em R$ 6,30, a localização atual da praça no início da estrada penaliza uma grande quantidade de itaboraienses que precisa se deslocar ao centro e a outros bairros da nossa cidade. É um entrave para a economia regional e um verdadeiro caça-níquel que prejudica a população”, comentou o vice-prefeito e secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Lourival Casula.

O SF Notícias procurou a Rota 116, concessionária que administra a rodovia, e aguarda um posicionamento.

VEJA MAIS

VEJA MAIS