Prefeitura de Pádua monta barreiras em distritos onde foi decretado ‘lockdown’

No período de sete dias fica vedado a permanência e o trânsito em vias públicas, salvo para deslocamento por força de trabalho, ou ida a serviços de saúde ou estabelecimentos autorizados a atender o público

A Secretaria Municipal de Saúde de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, instalou barreiras sanitárias nas entradas dos distritos de Paraoquena e Campelo. Ontem a prefeitura decretou ‘lockdown’ de sete dias nos distritos. O sinal de alerta foi ligado após mortes de moradores do distrito de Paraoquena diagnosticados com coronavírus. O objetivo das barreiras, segundo a prefeitura, é de achar possíveis casos para não deixar o vírus se propagar ainda mais, além de chamar atenção dos moradores sobre o uso de máscaras. Nas barreiras serão feitas testagem de temperatura.

No período de sete dias (até 1º de março) fica vedado a qualquer indivíduo a permanência e o trânsito em vias públicas, salvo para deslocamento por força de trabalho, para ida a serviços de saúde ou farmácias, para compra de insumos alimentícios e congêneres essenciais à subsistência, bem como para ida a estabelecimentos autorizados a atender ao público, e ainda os profissionais, professores e pesquisadores das instituições de ensino e pesquisa que atuam em parceria com o município para desenvolvimento de soluções para o combate à pandemia.

O decreto determina ainda que para garantir observância do mesmo fica autorizado o bloqueio e interdição de vias e blitz fiscalizatória em todos os pontos dos distritos, conforme orientação da Vigilância em Saúde. Ainda segundo o decreto, os indivíduos devem comprovar por meio de carteira de trabalho, funcional, crachá, contrato de trabalho ou qualquer documento idôneo o deslocamento em razão de trabalho. Fica vedado a qualquer indivíduo a permanência e o trânsito em vias públicas dentro dos distritos depois das 23h até às 5h, com exceção dos profissionais e serviços de saúde/ forças de segurança/ vigilantes/ advogados no exercício da profissão e situações de emergência. A Prefeitura suspendeu ainda o atendimento presencial em estabelecimentos comerciais e prestadores de serviço, inclusive bares, restaurantes e congêneres, sendo proibido o atendimento nas portas dos mesmos, e autorizado apenas o delivery. Farmácias, supermercados, açougues, peixarias, quitandas, lojas de venda de alimentação para animais, distribuidores de gás e água, padarias e postos de combustíveis estão autorizados a atender o público. O decreto na íntegra pode ser conferido AQUI.

VEJA MAIS

VEJA MAIS