Foto: Jornal Sem Limites

Prefeitura de Pádua deve autorizar reabertura do comércio a partir de 1º de julho Comércio considerado não essencial está fechado no município desde março. Nesta quinta, prefeito também falou sobre a possibilidade de retorno das atividades em templos religiosos

Comércio considerado não essencial está fechado no município desde março. Nesta quinta, prefeito também falou sobre a possibilidade de retorno das atividades em templos religiosos

Foto: Felipe Sião Filmes

O prefeito do município de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, anunciou durante o programa “Falando com o Prefeito” nesta quinta-feira (25/06), que o município deve adotar medidas de flexibilização a partir do dia 1º de julho. Entre as medidas que podem ser adotadas estão a autorização do funcionamento do comércio em geral e também o retorno das atividades em templos religiosos. O chefe do poder executivo ressaltou que as aulas continuarão suspensas. “Na escola a criança é obrigada a estar naquele ambiente. Enquanto num restaurante, numa loja, num bar, vai quem quer. Vamos muito possivelmente flexibilizar no geral a partir do dia 1º, inclusive nas igrejas” – afirmou. Para reabrir, todos os estabelecimentos deverão adotar medidas de prevenção ao novo coronavírus, como disponibilização de meios para higienização das mãos, uso de máscaras e distanciamento. A possibilidade de flexibilização será estudada junto à Comissão de Combate ao Covid-19. (continua após a publicidade)

O prefeito salientou que, caso seja verificado um crescimento de casos da doença na cidade após a flexibilização, as restrições podem voltar a ser adotadas, até mesmo através do lockdown. Pádua contabiliza um total de 351 casos confirmados de Covid-19, sendo cinco mortes. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde nesta quinta, o município tem 232 casos considerados suspeitos, que aguardam resultados de exames. Quatro pessoas estão em isolamento hospitalar e 215 pessoas já se recuperaram. Dezessete, Cidade Nova e o Centro são os bairros com mais casos.

Mais do SFn