quinta-feira , 22 outubro 2020

Polícia prende falso médico que provocou amputação de perna de paciente Ele atuava em hospitais de 4 cidades do estado. O acusado também se apresentava como tenente do Exército Brasileiro, inclusive com documentos pertinentes e fardamento

Ele atuava em hospitais de 4 cidades do estado. O acusado também se apresentava como tenente do Exército Brasileiro, inclusive com documentos pertinentes e fardamento

Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil do estado do Rio de Janeiro, através da 91ª Delegacia Legal de Valença, prendeu um falso médico que atuava em hospitais dos municípios de Valença, Mendes, Volta Redonda, Piraí e Barra do Piraí. Ele foi localizado pelos agentes trabalhando em um hospital de Valença e autuado em flagrante por falsidade ideológica, lesão corporal, exercício ilegal da medicina, uso de documento falso e falsa identidade. Segundo as informações da Polícia Civil, ele usava os dados e documentos de um médico, atualmente residente em Goiás, mas também se apresentava como tenente do Exército Brasileiro, inclusive com documentos pertinentes e fardamento. As investigações revelaram que o acusado se aproveitou da pandemia pelo Covid-19 e da escassez de médicos e se apresentou a um hospital de Valença a como médico cirurgião e intensivista, usando a identidade de tenente do Exército Brasileiro para cobrir plantões vagos na unidade. (continua após a publicidade)

Há dois meses ele vinha realizando atendimento no local. Um dos pacientes teve a perna amputada pelos cuidados médicos equivocados, inclusive cirúrgicos, e a prescrição de remédios não correspondentes à gravidade do ferimento do homem. A vítima teria se acidentado com um vergalhão na perna, vindo a necrosar a perna direita, o que motivou a amputação. Pelas investigações iniciais, foi apurado que o falso médico também teria atuado em vários hospitais do Sul Fluminense, principalmente nas cidades de Valença, Mendes, Volta Redonda, Piraí e Barra do Piraí. Após ser preso e comprovada da falsidade ideológica e a falsa identidade, ele se identificou aos policiais, que estão confirmando essa identificação através de pesquisa nos bancos de dados de Brasília, Goiás e Rio de Janeiro.

Mais do SFn