Polícia Civil do RJ apreende 11 mil máscaras de proteção que seriam vendidas com preço muito acima do praticado Segundo a Polícia Civil, as máscaras apreendidas seriam vendidas por um preço de até 10 vezes maior que o valor original do produto

Segundo a Polícia Civil, as máscaras apreendidas seriam vendidas por um preço de até 10 vezes maior que o valor original do produto

Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil realizou uma operação visando reprimir o comércio irregular de materiais hospitalares e EPIs para o combate ao novo coronavírus. Durante a ação, os policiais apreenderam cerca de 11 mil máscaras de proteção que seriam vendidas com preço muito acima do praticado. A investigação apontou que após o início da pandemia alguns estabelecimentos comerciais estariam aproveitando para aumentar os valores dos equipamentos de proteção. Ainda segundo o apurado, as máscaras apreendidas seriam vendidas por um preço de até 10 vezes maior que o valor original do produto.

Os agentes monitoraram a ação dos comerciantes e chegaram ao carregamento que foi localizado em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. O material estava sem nota fiscal de venda e armazenado em caixas com a numeração dos lotes apagadas para dificultar o rastreamento dos fornecedores. Parte da carga seria comercializada na Baixada Fluminense. Os responsáveis pelo material vão responder pelo crime contra a economia popular.

Mais do SFn