PF faz operação contra fraudes em contratos de compras de testes de Covid-19 em Laje do Muriaé e outras cidades

Policiais cumprem mandados em sete cidades do estado, entre elas, Laje do Muriaé no Noroeste Fluminense

A Polícia Federal (PF) faz hoje (14) uma operação contra suspeitos de fraudar licitações para a compra de kits de teste rápido de detecção de Covid-19 no estado do Rio de Janeiro. De acordo com a Polícia Federal, a “Operação Reativo” visa apurar fraude em processo licitatório realizado para compra de kits de teste rápido do COVID-19.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

A ação de hoje conta com a participação de cerca de 120 policiais federais, que cumprem 26 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 4ª Vara Federal de São João de Meriti/RJ, em sete cidades do estado: Rio de Janeiro, Japeri, Laje de Muriaé, Nilópolis, São João de Meriti, Nova Iguaçu e Mesquita.

A investigação teve início após a deflagração da “Operação Apneuse”, em setembro de 2020, e a respectiva análise realizada pela Controladoria Geral da União (CGU) em contratos da Prefeitura de Japeri, que comprovou sobrepreço nos referidos processos licitatórios. A apuração aponta que três empresas que participaram do processo licitatório agiram em conluio para direcionar a empresa ganhadora a firmar contrato no valor de R$ 2 milhões de reais. Além disso, a PF verificou que tais empresas estão vinculadas a diversos processos licitatórios em várias outras cidades no Estado.

Os investigados, pessoas físicas e jurídicas, por decisão judicial, terão contas bancárias bloqueadas, bens e valores sequestrados e poderão responder pelos crimes de fraude à licitação e peculato, sem prejuízo de outros que possam surgir no decorrer da investigação.

Nota da prefeitura
Em nota, a Prefeitura de Laje do Muriaé informou que a investigação da Polícia Federal é referente aos atos praticados no ano de 2020, durante a gestão passada do município, e que a atual gestão não tem qualquer ligação com as investigações. A prefeitura informou ainda que “os agentes públicos estão à disposição para colaborarem com as investigação das autoridades competentes para realizem de maneira incisiva toda a apuração dos fatos”.

VEJA MAIS

VEJA MAIS