Petrobras não atenderá toda demanda de combustíveis em novembro: mercado teme desabastecimento

Distribuidoras admitem risco de desabastecimento. A Petrobras informou que, em comparação com o mesmo período do ano passado, o pedido pela gasolina aumentou 10%, enquanto pelo diesel, houve crescimento de 20%

A Petrobras confirmou que não poderá atender todos os pedidos de fornecimento de combustíveis para novembro, que teriam vindo acima de sua capacidade de produção. Em nota divulgada a empresa afirmou que, apenas com muita antecedência, conseguiria atender às demandas pedidas pelas distribuidoras. A informação ascendeu um alerta nas distribuidoras para risco de desabastecimento no país. De acordo com a petroleira, foi uma demanda “atípica”, muito acima dos meses anteriores e de sua capacidade de produção. Ao mercado a Petrobras informou que, em comparação com o mesmo período do ano passado, o pedido pela gasolina aumentou 10%, enquanto pelo diesel, houve crescimento de 20%.

A nota foi divulgada após Associação das Distribuidoras de Combustíveis Brasilcom, grupo que representa distribuidoras de diferentes regiões do país, ter declarado que filiadas receberam comunicados do setor comercial da Petrobras informando uma série de cortes unilaterais nos pedidos feitos para o fornecimento dos combustíveis para novembro. Na análise da Brasilcom, a medida coloca o Brasil em risco de desabastecimento, tendo em vista que as empresas não conseguem importar gasolina e diesel devido aos preços elevados encontrados no mercado internacional.

No comunicado publicado nesta segunda-feira (18), a Petrobras ressaltou que está operando seu parque de refino com fator de utilização de 90% no acumulado de outubro, contra 79% no primeiro semestre do ano.

Com informações: Petrobras / BandNews FM

VEJA MAIS

VEJA MAIS