O vazamento estimado em 6,6 mil litros de óleo residual foi provocado por trincas na embarcação FPSO Cidade do Rio de Janeiro

Petrobras diz que houve redução da mancha de óleo na Bacia de Campos

A Petrobras divulgou nesta quarta-feira (28/08) que houve uma redução da mancha de óleo residual na Bacia de Campos, que, no momento, com a redução, tem aproximadamente 0,4m³. O vazamento começou na última sexta-feira (23) quando a empresa Modec, responsável pela embarcação FPSO Cidade do Rio de Janeiro, informou a existência de trincas no casco do navio, após inspeção nos tanques externos da embarcação. Em decorrência disso, houve vazamento estimado em 6,6 mil litros de óleo.

Segundo a estatal, a Modec disse que a embarcação, localizada a 130 quilômetros da costa, permanece estável e em condições normais de calado e inclinação. O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) chegou a dizer que a embarcação estava adernando e corria o risco de afundamento. Cerca de 107 pessoas embarcadas foram retiradas da embarcação.

Ainda de acordo com a  Petrobras, a Modec informou que já se encontra em Macaé a equipe de Salvage que avaliará as condições do FPSO e determinará a melhor estratégia para concluir o descomissionamento e remover a plataforma. O embarque do grupo ocorrerá hoje (28/08). O FPSO Cidade do Rio de Janeiro, operado pela Modec desde 2007, encerrou seu ciclo de produção em julho de 2018 e está em processo de desmobilização desde então.

Mais do SFn