Pastor de igreja em Cordeiro, esposa e filha morrem em grave acidente

Uma outra filha do casal permanece internada em estado grave

O pastor Sandro Sebastião da Silva Santos, de 43 anos, a esposa Daniele da Costa Marquesine e uma das filhas do casal, Thalita Silva Marquesine Santos, de apenas 6 anos, morreram em um grave acidente ocorrido na madrugada desta terça-feira (03/08). A colisão entre dois carros aconteceu na RJ-112, próximo ao entroncamento com a RJ-116.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

De acordo com informações apuradas pelo SF Notícias, eles seguiam para Rio de Janeiro quando sofreram o acidente. No carro com eles também estava mais uma filha do casal, de 10 anos, que foi socorrida com ferimentos considerados graves e permanece internada no hospital de Cachoeiras de Macacu. A família é de Irajá, mas desde de julho do ano passado Sandro passou a pastorar na Igreja Batista Atitude de Cordeiro, na Região Serrana do Rio.

No outro veículo envolvido no acidente, dois homens ficaram feridos e também foram socorridos pelas equipes do Corpo de Bombeiros e do SAMU do município. O acidente foi registrado na 159ª Delegacia de Polícia de Cachoeiras de Macuco. Os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal de Nova Friburgo. Moradores de Cordeiro ficaram abalados com a tragédia. Ao SF Notícias o pastor Aquila Lima, que pregava na IBA de Cordeiro até julho de 2020, informou que está indo para o município de Cordeiro para às 19h realizar um culto de gratidão pela vida do pastor Sandro, de sua esposa e filha. Nas redes sociais, amigos lamentaram o falecimento do pastor. “Que Deus conforte os meninos e a pequena que sobreviveu a esse trágico acidente. Lembro que todas as vezes que nos encontrávamos na @ibatitude ele fazia questão de brincar comigo pelos vídeos de publicidade da nossa célula. Descanse em paz meu irmão, o céu recebeu um reforço”. “Deus neste momento só te pedimos que o Sr. conforte seus filhos, familiares, amigos, irmãos e as ovelhas desse lindo legado que eles deixam”, dizem algumas das publicações.

VEJA MAIS

VEJA MAIS