Parque Estadual do Desengano alerta para risco de cabeças d’água em cachoeiras da região

Fenômeno ocorre quando chove forte na cabeceira (nascente) de um rio ou em trechos mais altos de seu percurso, provocando aumento rápido e repentino do nível da água
Imagens e vídeo: Madalena Ecoturismo/ Luis Rocha

O Parque Estadual do Desengano (PED), mais antiga Unidade de Conservação estadual e último remanescente florestal contínuo de expressiva extensão do Norte Fluminense, fez um alerta para o risco de cabeças d’água em cachoeiras dentro do Parque, que abrange São Fidélis, Santa Maria Madalena e Campos dos Goytacazes. O período entre outubro e março é o de maior incidência de chuvas na região, podendo chover até 80% de toda a pluviosidade do ano. Desta forma, o risco de ocorrência do fenômeno é ainda maior. As cabeças d’água ocorrem quando chove na cabeceira (nascente) de um rio, ampliando rapidamente seu fluxo. O nível das águas pode subir vários metros em poucos segundos. As imagens abaixo são da Cachoeira do Roncador, no Sossego do Imbé, em Santa Maria Madalena. (continua após o vídeo)

Segundo o gestor do parque, Carlos Dário, o risco ocorre em todas as cachoeiras não somente do PED, mas de qualquer curso de água em área de grande declive. A orientação da equipe do PED é evitar o banho em rios e cachoeiras durante e após períodos de chuva, pois existe um grande risco de deslizamentos de terra, raios, quedas de árvores e em casos mais graves, o risco de ser arrastado pela enxurrada. Em caso de emergência a orientação é acionar a Defesa Civil (199); Corpo de Bombeiros (193) ou a equipe do Parque (22) 2561-3072.

VEJA MAIS

VEJA MAIS