Norte Fluminense fechou o primeiro trimestre de 2017 com o pior resultado industrial do estado Segundo a Firjan o volume teve a maior queda de produção (48,2 pontos) do estado, atingindo em cheio vários setores e número de desempregados não para de crescer

Segundo a Firjan o volume teve a maior queda de produção (48,2 pontos) do estado, atingindo em cheio vários setores e número de desempregados não para de crescer

Fotos: SF Notícias

De acordo com a Federação das Industrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), a região Norte Fluminense recuou com volume de produção em 48,2 pontos. Com isso o número de desempregados não para de crescer, e situação é alarmante pois desde março a produção continuou caindo, atingindo 46,2 pontos, chegando a marca de menor de menor do estado pelo que mostra a Sondagem Industrial do Rio de Janeiro.

Realizada entre 13 e 17 de abril, a pesquisa apontou que, como nos meses anteriores, os empresários continuaram insatisfeitos com as condições financeiras no primeiro trimestre deste ano. Fatores como a dificuldade de acesso ao crédito (16,8 pontos) e as baixas margens de lucro (26,9 pontos) contribuíram para esta insatisfação. A região apresentou a pior condição financeira do estado Rio de Janeiro.

A sondagem é um levantamento de opinião empresarial e os indicadores variam de zero a cem pontos. Os valores abaixo de 50 indicam pessimismo ou redução e acima de 50 pontos representam otimismo ou aumento. Apesar da a indústria da região estar operando, em média, com uma capacidade instalada de 60%, acima da média histórica.

Ainda que com o trágico desempenho, para os próximos seis meses, a expectativa dos industriais do Norte Fluminense é de aumento da demanda por produtos (54,0 pontos). mas por enquanto as encomendas devem continuar sendo atendidas com a redução de estoques, uma vez que a compra de matérias primas deve recuar (44,8 pontos). Para as exportações, a perspectiva é de estabilidade (50,0 pontos).

Mais do SFn