terça-feira , 20 outubro 2020

Natureza em festa 🎉🎊Parque Estadual do Desengano completa 50 anos Desengano é a mais antiga Unidade de Conservação estadual e abrange os municípios de Santa Maria Madalena, São Fidélis e Campos dos Goytacazes

Desengano é a mais antiga Unidade de Conservação estadual e abrange os municípios de Santa Maria Madalena, São Fidélis e Campos dos Goytacazes

Fotos: Vinnicicus Cremonez

Um cenário espetacular de beleza ímpar. Um lugar preservado e que precisa continuar sendo preservado! Cachoeiras, trilhas, e uma imensa variedade de plantas e animais nativos da Mata Atlântica, muitos deles raros e ameaçados, como o muriqui, maior primata das Américas. Estamos falando do Parque Estadual do Desengano (PED), a mais antiga Unidade de Conservação estadual, e que fica aqui na nossa região, na nossa casa. A unidade possui muitas montanhas de grande porte sendo a mais conhecida a do Pico do Desengano. Nelas há opções de trilhas com todos os níveis de dificuldade e cachoeiras muito visitadas como as da Cascata, Mocotó e Tombo D’Água, até travessias de longa duração, próprias para montanhistas mais experientes. O Parque tem 22.400 hectares de extensão e outros 22.400 de Zona de Amortecimento ao seu redor, área que ajuda a proteger o PED. (continua após a publicidade)

O Parque Estadual do Desengano foi criado através de um Decreto-lei Estadual publicado em 13 de abril de 1970, para preservar sua notável expressão orográfica que o destaca no cenário regional como acidente de grande beleza cênica, com inúmeros picos rochosos e cobertura florística bastante representativa do bioma primitivo Mata Atlântica (ainda de forma contínua e com algumas das tipologias mais significativas de nossa flora) e um considerável número de espécies endêmicas e ameaçadas de extinção; para preservar o grande número de representantes de nossa fauna, também com espécies endêmicas e ameaçadas; o esplêndido e estratégico manancial de água alternativo para as regiões vizinhas do Norte e Noroeste Fluminense; além de propiciar a pesquisa científica, a educação ambiental e a visitação – que poderá acarretar um notável desenvolvimento regional, com fácil acesso rodoviário, possibilitando a utilização do Parque e seu entorno pelas diversas faixas econômicas da população. (continua após a foto)

O Parque possui 23 trilhas, todas marcadas e sinalizadas, e estão em um guia de trilhas (bilíngue) pode ser baixado pela internet, que apresenta as melhores rotas para o turismo ecológico no Parque Estadual do Desengano, reunindo informações sobre a fauna, flora, clima e geografia de um dos principais patrimônios naturais do Brasil, composto por rios, cachoeiras e trilhas em uma área intocada de Mata Atlântica. A origem do nome se deu devido a uma lenda sobre um contrabandista e salteador que operava nestas paragens, conhecido como Mão de Luva, que fugindo de intensa perseguição policial, embrenhou-se nos sertões da Serra do Imbé, seguindo depois em direção forquilha. Segundo a lenda, ele deixou grande tesouro enterrado junto a uma tradicional figueira que tomou seu nome. Sugere-se também que o fato de nunca haver sido encontrado tão fabuloso tesouro seja o motivo do nome Desengano. O Parque Estadual do Desengano é reconhecido internacionalmente como uma IBA (Important Bird and Biodiversity Area), ou seja, uma área prioritária para conservação da biodiversidade de aves, pela BirdLife International.

Mais do SFn