Mulher é esfaqueada, salta de carro para tentar se salvar, mas morre no hospital; marido foi preso como suspeito

Acusado é concursado da Prefeitura de São Fidélis, onde trabalha no setor de informática

Mais um caso de violência contra a mulher chocou os moradores de Campos, no Norte Fluminense. A enfermeira Kíssila Goudard, de 32 anos, morreu após ser esfaqueada nesta segunda-feira (15/03). Ela estava em um carro com o marido e saltou do veículo em movimento, na Avenida Nilo Peçanha, no Parque Santo Amaro, para tentar se salvar, sendo socorrida em estado grave e encaminhada ao Hospital Ferreira Machado, onde não resistiu. Ela foi atingida por pelo menos oito golpes de faca na região do abdômen e no tórax. A vítima tinha três filhos do primeiro casamento.

Após o crime, o principal suspeito, Guilherme Maciel, de 35 anos, que é marido de Kíssila, fugiu, mas foi preso na noite desta segunda (vídeo abaixo) O carro que ele usava foi encontrado carbonizado em um canavial perto do distrito de Travessão. Segundo a polícia, enquanto estava sendo socorrida pelos bombeiros, Kíssila disse que o autor do crime teria sido seu companheiro, com quem era casada há três meses. Guilherme é concursado da Prefeitura de São Fidélis, onde trabalha no setor de informática. O crime é investigado pela 134ª Delegacia de Polícia de Campos.

continua após o vídeo

Kíssila era enfermeira e integrante do Grupo de Resgate Voluntário (GRV). O grupo publicou, em suas redes sociais, uma nota de pesar. “É com imenso pesar e consternação, que fomos informados por amigos e pela imprensa, do falecimento da nossa eterna 02, Kíssila Goudard P. Foi na manhã de hoje, cruelmente assassinada, e segundo investigações, o marido é o suspeito do crime. É inadmissível continuar todos os dias a ver notícias de feminicídios, é preciso mudar imediatamente essa crescente, o Brasil ocupa a 5ª posição no mundo em crimes de feminicídio. Que Deus conforte o coração da família e dos amigos. Nossa eterna 02 era cheia de vida, alegre, uma profissional incrível, pessoa querida por todos. Apelamos que as autoridades sejam céleres, para elucidar o caso e prover a merecida punição ao criminoso. Basta de violência contra a mulher”, diz a nota.

VEJA MAIS

VEJA MAIS