Movidos pelo sonho de ser jogador, jovens tentam chance em ‘peneirão’ do Paduano Paduano busca atletas para formar o time que vai disputar a Série C do Carioca

Paduano busca atletas para formar o time que vai disputar a Série C do Carioca

Eles largaram tudo para ir atrás do sonho de ser jogador

Qual garoto nunca sonhou em ser jogador de futebol? Qual o garoto que nunca chegou em casa sujo de lama ou com os pés cheios de areia após aquela pelada em campos de várzea? É assim que começa a busca do sonho de muitos jovens em todo o Brasil. Eles se inspiram em Messi, Neymar, Ronaldo, Ronaldinho, Kaká e tantos outros.

Muitos deles viajam quilômetros em busca desse sonho. Foi o que fez Lucas Gomes Lacerda, de 18 anos, e Maurício Magalhães Botelho, de 22 anos, que saíram do Rio de Janeiro e foram para Santo Antônio de Pádua, onde junto com outros 13 meninos, estão vivendo no alojamento do Paduano. Eles vão participar de uma peneira que será realizada no clube nos próximos dias.

Campeão da Série C do Carioca em 1987 e 2012 o Paduano Esporte Clube acumulava dívidas, ações judicias e interdições de suas dependências devido às péssimas condições de uso, e por isso, estava afastado dos gramados desde 2014. Porém, a realidade hoje é muito diferente. O clube está dando a volta por cima e voltará às competições profissionais neste ano. Após se regularizar junto a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), o time do técnico Everton José jogará a Série C do Campeonato Carioca que começa em Julho. O novo técnico foi apresentado junto à nova comissão apresentada nesta quarta-feira (22/03) na sede do Paduano.

Para estar em Pádua, Lucas e Maurício deixaram as famílias, namoradas e até os empregos. Lucas atuava como modelo e fez participações em Malhação, novela da Rede Globo voltada para jovens. Já Maurício trabalhava como técnico de informática na Rede Record, onde ganhava aproximadamente R$ 3 mil, mas eles largaram tudo pelo futebol.

Morador do Recreio dos Bandeirantes, Lucas começou a sonhar em ser jogador ao ver o pai jogando em campeonatos de bairros. “Meu pai tentou ser um jogador profissional, mas antigamente não tinha muita estabilidade como tem hoje no futebol. Sempre fui aos jogos do meu pai e até hoje eu busco, corro e insisto no meu sonho. Futebol é minha vida, meu sonho!”, disse o jovem.

Ele passou por equipes como Botafogo, Fluminense e Tigre, mas nunca no time principal. Hoje ele busca realizar o sonho no Paduano. “O Paduano me mostrou confiança, botou brilho não só em meus olhos, mas sim em todos que estão chegando ao Paduano. Hoje, toda essa equipe, desde o massagista até o presidente, é maravilhosa! A visão deles para o time é forte. Vejo confiança. Sabem conversar com os atletas, mostram respeito, o alojamento é maravilhoso, a preocupação deles com os jogadores nos faz ficar confortáveis. A cidade voltou a enxergar o Clube com outros olhos”, concluiu Lucas Lacerda.

Já Maurício saiu da Taquara, na Zona Oeste do Rio. “O querer ser jogador vem de berço. Minha mãe jogava bola e ela acabou me deixando de herança o dom de jogar. É a coisa que mais amo fazer e luto a cada dia para alcançar o objetivo de ser profissional”.

A mãe de Maurício, Vânia Magalhães Botelho, também sonhava em ser jogadora. Ela teve a chance de jogar no Esporte Clube Radar, um dos pioneiros na formação de uma equipe feminina de futebol, lutando conta o preconceito de uma época em que as mulheres eram apenas esposas e donas de casa. Maurício passou pelo Bangu, Corumbaense de Mato Grosso do Sul, Esporte Clube Marinho, Flamengo, Madureira, São Cristóvão e Villa Rio. Hoje ele pretende passar na peneira do Paduano.

“O Paduano me mostrou que é um clube acolhedor, a cidade toda tem esperança de que o time possa fazer um ótimo campeonato. Mas o que mais me chamou atenção foi o trabalho da diretoria e do presidente na sinceridade de olhar no olho, e o projeto de fazer o Paduano voltar ao que era antes. Estou muito motivado para ajudar nessa fase e fazer história aqui no clube”, concluiu Maurício.

Segundo Rômulo Vieira, novo gestor de futebol do Paduano, as avaliações vão acontecer até o próximo dia 04. Só no primeiro dia, foram mais de 70 jovens avaliados. As peneiras acontecem sempre às terças e quintas feiras às 14h30. Após o dia 4 de abril a comissão técnica juntamente com o técnico Everton José vai se reunir e selecionar dentre todos os avaliados os atletas que irão compor o elenco do Paduano Esporte Clube Sub 20 e o Profissional que é limitado pela FERJ ao Sub 23.

“Estamos hoje em processo de reestruturação do clube. Hoje o pensamento da diretoria não é mais jogar campeonato, subir, ser campeão apenas. Nosso pensamento vai, além disso. Hoje queremos reerguer o nome do Paduano Esporte Clube. Buscamos investimentos para melhorias na nossa sede, criação de quadra de areia poliesportiva para os sócios e treinamento físico dos atletas, melhorar e aumentar as arquibancadas, as áreas de uso comum como churrasqueiras, salão de festas e até mesmo uma academia. Espero que daqui a 10, 20, 30 anos eu consiga olhar para trás e ver que tudo que estamos passando hoje valha a pena, e que o clube não fique mais nem um ano sem disputar um campeonato profissional de futebol.”

“E por que não sonharmos em disputar uma Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro, e a Elite do Futebol Carioca, a Série A?”, concluiu Rômulo. O SF Notícias vai acompanhar os resultados das peneiras e torcer para que Lucas, Maurício e tantos outros que buscam esse sonho, possam ter grandes conquistas nessa longa jornada da vida.

Mais do SFn