Morte de gestante que sofreu AVC no interior do Rio levou Anvisa a recomendar suspensão da AstraZeneca

Segundo a Anvisa, o "evento adverso grave de acidente vascular cerebral hemorrágico foi avaliado como possivelmente relacionado ao uso da vacina administrada na gestante"

Imagem: Fiocruz

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou em nota que a recomendação para suspensão da aplicação da vacina AstraZeneca contra Covid-19 em gestantes foi feita após a notificação de morte suspeita de uma gestante de 35 anos. Ela faleceu na segunda-feira (10/05) no interior do estado do Rio. Segundo o comunicado publicado pela Anvisa, a agência foi notificada na última sexta (07), pelo próprio fabricante da vacina Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, a Fiocruz, a suspeita de evento adverso grave de acidente vascular cerebral hemorrágico com plaquetopenia ocorrido em gestante e óbito fetal. “A Anvisa iniciou imediatamente a avaliação do caso. O relato descreve gestante de 35 anos, com feto em idade gestacional de 23 semanas, que foi hospitalizada em 05 de maio com cefaleia excruciante e diagnóstico de acidente vascular cerebral hemorrágico, plaquetopenia e D-dimero alterado. O óbito fetal ocorreu no dia 06 de maio de 2021 e o da gestante em 10 de maio de 2021” – informou a Anvisa.

O evento adverso grave de acidente vascular cerebral hemorrágico foi avaliado como “possivelmente relacionado ao uso da vacina administrada na gestante”. A análise leva em consideração diversos aspectos como dados sobre o (a) paciente, sua história clínica, dados de exames laboratoriais, bem como sinais e sintomas apresentados após a administração de um medicamento ou vacina. A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina da AstraZeneca seja seguida pelo Ministério da Saúde. “O uso off label de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente. A bula atual da vacina contra Covid-19 da AstraZeneca não recomenda o uso da vacina por gestantes sem orientação médica” – destacou a Agência.

A Anvisa informou ainda que “tromboses associados à plaquetopenia (formação de coágulos no sangue associados com quadro de diminuição de plaquetas – componente do sangue que ajuda na coagulação) vêm sendo monitorados e analisados em diversos países e foram principalmente associados às vacinas que utilizam adenovírus como plataforma, tais como a vacina Oxford/Astrazeneca/Fiocruz e Janssen. Segundo a agência, pesar de graves e potencialmente fatais, as ocorrências são extremamente raras. Uma avaliação constante de benefício-risco deve ser realizada, visto que plaquetopenia e eventos tromboembólicos constituem eventos adversos de interesse especial para monitorização em todo o mundo, segundo Manual da Organização Mundial de Saúde”. Confira o comunicado na íntegra AQUI.

VEJA MAIS

VEJA MAIS