quarta-feira , 23 setembro 2020

Macaé ultrapassa 1.000 casos confirmados de Covid-19 e total de mortes chega a 37 A cidade tem 643 pacientes recuperados. Segundo boletim divulgado pela prefeitura, há mais casos de Covid-19 em pessoas com idades entre 30 a 49 anos

A cidade tem 643 pacientes recuperados. Segundo boletim divulgado pela prefeitura, há mais casos de Covid-19 em pessoas com idades entre 30 a 49 anos

Foto: SECOM Macaé

O município de Macaé, no Norte Fluminense, ultrapassou mil casos confirmados de coronavírus nesta quarta-feira (03/06). Até o boletim divulgado nesta terça (02) a cidade tinha 936 casos confirmados, sendo 35 mortes. Agora já são 1008 casos, sendo 37 mortes. Segundo a Prefeitura, o Centro de Triagem do Paciente com Coronavírus realizou, durante as 24 horas do dia 2 de junho, 170 atendimentos. A cidade tem 643 pacientes recuperados. Os dois novos óbitos, são de pacientes homens, com 59 e 70 anos, ambos com comorbidades. Nesta terça a Prefeitura divulgou o oitavo Boletim Coronavírus, que informa o perfil dos infectados pela pandemia no município. Com o cruzamento de dados, os casos podem ser detalhados, por exemplo, por faixa etária, gênero, bairros, sintomas e doenças pré-existentes. Segundo dados do boletim, há mais casos de Covid-19 em Macaé em pessoas com idade entre 30 a 49 anos (56% do total). Dos casos confirmados até a divulgação do boletim, 51% são homens. Em relação a mortes, o percentual é de 53% de pessoas do sexo feminino e 47% do sexo masculino. A faixa etária mais atingida por óbitos continua sendo acima dos 80 anos. (continua após a publicidade)

Os bairros com mais casos notificados de Covid-19 são Parque Aeroporto, Lagomar, Centro, Barra de Macaé e Aroeira. Quando considerada a taxa de incidência (cálculo entre o número de notificações e a população estimada do local), a ordem é: Barreto, Virgem Santa, Lagoa, Imboassica e Cavaleiros. Ainda segundo a prefeitura, o coeficiente de incidência no Brasil da Covid-19 é de 2.437 para grupo de um milhão de habitantes. No Estado do Rio de Janeiro, a taxa é de 2.727. Em Macaé chegou também a 2.727, índice já apontado como estado de atenção de acordo com o protocolo seguido pelo Ministério da Saúde. Os principais sintomas apresentados pelos pacientes no município, por ordem de identificação, permanecem os mesmos em relação ao último boletim tosse, febre, desconforto respiratório, dor de garganta, dispneia (falta de ar) e nível de saturação de oxigênio inferior a 95%. As maiores comorbidades – doenças que predispõem ao desenvolvimento de outras – são doença cardiovascular, diabetes, pneumopatia crônica (que afeta os pulmões), asma, obesidade, imunodeficiência e doença renal crônica.

Mais do SFn