quarta-feira , 23 setembro 2020
Foto: Secom Macaé

Macaé soma 476 casos de Covid-19: ocupação dos leitos de UTI na rede pública chega a 50% Segundo o prefeito, lockdown pode ser adotado caso a ocupação dos leitos em centro de terapia intensiva pública chegue de 60% a 70%

Segundo o prefeito, lockdown pode ser adotado caso a ocupação dos leitos em centro de terapia intensiva pública chegue de 60% a 70%

Foto: SECOM Macaé

Macaé, no Norte Fluminense, segue sendo o município com maior número de casos de coronavírus na região. De acordo com o informe epidemiológico divulgado pela Prefeitura, a cidade tem 476 casos confirmados, sendo 230 pacientes recuperados e 20 mortes. A pandemia fez com que os leitos de UTI na rede pública saltassem de 30% de ocupação na sexta (15) para 50% nesta segunda-feira (18). A informação foi dada pelo prefeito Dr. Aluizio em entrevista coletiva por videoconferência, na qual ele descartou a possibilidade de decretar lockdown nesta segunda, mas afirmou que é possível que a medida seja tomada caso a ocupação dos leitos em centro de terapia intensiva pública chegue de 60% a 70%. (continua após a publicidade)

Segundo o prefeito, até sexta-feira eram 11 doentes internados (em leitos de UTI na rede pública), hoje são 18. “Tomamos as definições da pandemia a cada dia, se chegarmos a 60%, a 70% dos leitos ocupados em terapia intensiva teremos que ser mais drásticos e fazer um freio de arrumação”, ressaltou, frisando ainda que dentro da lógica global epidemiológica, Macaé está no caso de atenção, um antes da emergência. Ele pediu para que pacientes que apresentem febre há três dias procurem o Centro do Coronavírus. A cidade começará a realizar testes sorológicos nesta terça-feira (19) nas barreiras sanitárias, e a prefeitura irá prorrogar o decreto que suspende as atividades laborais para primeiro de junho.

Em 60 dias de funcionamento foram atendidas 8.100 pessoas no Centro de Triagem do Paciente com Coronavírus. Foram realizados 1.022 testes, sendo 40,7% positivos. A taxa de mortalidade foi de 4,67%. Destes óbitos, 90% se referem a pacientes acima de 60 anos com comorbidades. Pela barreira sanitária, passaram 216 mil pessoas, cerca de 8,5 mil foram impedidas de entrar em Macaé e 200 pessoas foram encaminhadas para o Centro de Triagem com sintomas.

Mais do SFn