Justiça nega recurso para que Witzel volte a morar no Palácio Laranjeiras

Defesa alega que Witzel ainda é o chefe do Poder Executivo estadual e sofre constantes ameaças à sua vida
Fotos: SF Notícias

A Justiça do RJ negou, nesta sexta (13/11), um recurso apresentado pela defesa do governador afastado Wilson Witzel para que ele volte a morar no Palácio Laranjeiras. A defesa do ex-juiz alega que, embora afastado, Witzel ainda é o chefe do Poder Executivo, e sofre com constantes ameaças à sua vida. Para o desembargador Antonio Iloizio Bastos, o Palácio das Laranjeiras é destinado a moradia de quem chefia o Poder Executivo. Se Witzel está afastado das funções de governador, não pode usar o imóvel, “sob pena de fazer uso gratuito de um bem público”. O magistrado apontou que o político deve sim ter um aparato de segurança sem necessariamente o uso e ocupação do Palácio das Laranjeiras.

No último dia 05 o Tribunal Especial Misto, composto por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais, aceitou, por unanimidade, a denúncia para o prosseguimento do processo de impeachment do governador afastado do Rio, Wilson Witzel. Na sessão, os integrantes da comissão também votaram a permanência dele no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governo do Rio, na zona sul da capital, e o corte, durante o processo, de um terço do salário que continua recebendo. Na decisão Witzel tinha dez dias para deixar o palácio, mas fez isso de forma rápida, apesar do prazo de dez dias.

VEJA MAIS

VEJA MAIS