Itaperuna e Pádua foram as maiores contratantes no primeiro trimestre na região

Em Itaperuna, Indústria e Construção foram os que mais geraram novas oportunidades. Já Santo Antônio de Pádua teve como destaque o grande setor de Serviços, seguido também de Indústria e Construção

Após registrar saldo negativo em janeiro, o Noroeste Fluminense recuperou o caminho na retomada econômica e registrou saldo positivo de 658 vagas no primeiro trimestre deste ano – com destaque para Itaperuna (+383) e Santo Antônio de Pádua (+260). Os dados são da plataforma Retratos Regionais da Firjan. “Indústria e Construção” foram as principais contratantes da região, com 288 novas oportunidades.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

“Ainda vivemos um tempo de muitas incertezas e turbulências econômicas em todo o mundo, mas estamos conseguindo atravessar este novo desafio com saldo positivo. E a indústria da região, em especial a construção civil, vem provando uma vez mais a importância na geração de emprego e renda no Noroeste Fluminense”, destacou o presidente da Firjan Noroeste, José Magno Vargas Hoffmann.

Ao lado de “Indústria e Construção”, Serviços (+416) foi o grande setor que mais contratou no primeiro trimestre na região. Agropecuária (-9) e Comércio (-237) ficaram com saldo negativo. A atividade que mais gerou empregos foi “Construção de Edifícios (+398) – mesmo destaque também de Itaperuna e Pádua, respectivamente, a primeira e a segunda cidade que mais abriram vagas na região no período.

Em Itaperuna, Indústria e Construção foram os que mais geraram novas oportunidades no município (+414), segundo a classificação Grandes Segmentos. Já Santo Antônio de Pádua teve como destaque o grande setor de Serviços (+150), seguido também de Indústria e Construção (+117). Das 13 cidades da região, cinco ainda estão com saldo negativo: São José de Ubá (-1), Natividade (-6), Laje do Muriaé (-13), Varre-Sai (-22) e Miracema (-99). O saldo total do Noroeste Fluminense no trimestre é positivo: 658 vagas abertas.

“Nos primeiros meses do ano é comum um maior volume de contratações, em especial em Serviços, nos segmentos voltados para a Educação. Em março, essas contratações já apresentam menor fôlego quando comparado a fevereiro – um movimento sazonal das contratações. Além disso, o setor de Comércio ainda sente as demissões sazonais de início de ano, principalmente no comércio varejista e nos segmentos de vestuário e acessórios”, destacou Jonathas Goulart, gerente de Estudos Econômicos da Firjan.

 No Norte Fluminense, Macaé e São João da Barra

Com saldo positivo de 2.213 vagas, o Norte Fluminense foi a segunda região com o maior número de contratações no interior do Rio neste primeiro trimestre. Os dados são da plataforma Retratos Regionais da Firjan. Macaé, 1.739 vagas abertas, e São João da Barra, com 363, se destacam na região, que a ‘Indústria e Construção’ como o grande setor que mais abriu oportunidades no Norte Fluminense (+1.537).

Neste primeiro trimestre na região, a Construção foi a maior contratante entre os grandes segmentos (+748), e a principal atividade foi “Montagem de instalações industriais e estruturas metálicas” (+680) – mesmas áreas que tiveram o maior saldo em Macaé (+521 e +627, respectivamente). Considerando todo o primeiro trimestre, a cidade é a quarta do estado que mais abriu oportunidades de trabalho – atrás apenas da capital, de Niterói e de Araruama. Já entre as regiões, o Norte Fluminense só não superou a capital e o Leste Fluminense neste primeiro trimestre.

Já São João da Barra, segunda maior contratante da região, teve o grande setor de Serviços como que mais abriu vagas (+192), seguido de perto por Indústria e Construção (+170). São Francisco de Itabapoana figura como a terceira da região, com saldo de 82. Neste caso, a Agropecuária foi a que mais abriu novas oportunidades (+48). Apenas duas cidades ainda estão com saldo negativo neste primeiro semestre: Quissamã (-5) e Campos (-27).

Na maior cidade do interior do Rio, o índice foi puxado para baixo por conta do grande setor de Comércio (-551). As maiores contratações vieram de Serviços (+273), Agropecuária (+139) e Indústria e Construção (+112). Já entre os grandes setores que mais contrataram em Campos está Educação (+268) e, entre as atividades, está “Limpeza em prédios e domicílios” (+132).

VEJA MAIS

VEJA MAIS