Igreja Adventista reforça a prevenção contra o abuso e a violência doméstica com ações em Pádua

O "Quebrando o Silêncio" é um projeto educativo e de prevenção realizado há vários anos em Pádua. No Agosto Lilás, membros da igreja foram às ruas do município em uma ação de conscientização
Fotos: Divulgação

O “Agosto Lilás” já acabou, mas a conscientização e combate à violência contra a mulher devem continuar diariamente em todos os meses. No mês passado, a Igreja Adventista do Sétimo Dia em Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, realizou o dia “D” do “Quebrando o Silêncio”. Segundo Zeni, a diretora do departamento de Comunicação da igreja, o Quebrando o Silêncio é um projeto educativo e de prevenção contra o abuso e a violência doméstica promovido anualmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em oito países da América do Sul, (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai) desde o ano de 2002. “Assim como em outras cidades a violência doméstica contra crianças, idosos e mulheres também é uma realidade em Santo Antônio de Pádua. Por isso a importância de participarmos desse projeto que é feito em vários países desde 2002. Esse projeto de conscientização aqui em Pádua é feito há vários anos. Cada ano temos um tema principal. Esse ano trabalhamos a violência contra as pessoas em estado de vulnerabilidade. Idosos, mulheres, crianças” – explicou.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

O projeto realizou a distribuição de revistas para adultos e crianças, passeatas entre outras ações. Devido à pandemia, não foram realizadas palestras nas escolas, que também fazem parte da programação. Zeni destaca que o projeto busca frisar que o amor não é sinônimo de sofrimento, violência e dor, reforçando a necessidade de denunciar. “Também trabalhamos com a comunidade da igreja local, pois sabemos que infelizmente esses abusos também podem acontecer em famílias que frequentam igrejas” – disse. Para acompanhar o projeto em Pádua pelas redes sociais clique AQUI (Instagram). Também está disponível um site com vários materiais sobre o assunto AQUI.

A Central de Atendimento à Mulher, número 180 que foi divulgado na ação em Pádua, registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento. Já o Disque Direitos Humanos – Disque 100 é um serviço disseminação de informações sobre direitos de grupos vulneráveis e de denúncias de violações de direitos humanos. O 190 é o telefone da Polícia Militar para diferentes tipos de emergência e para toda a população.

VEJA MAIS

VEJA MAIS