sexta-feira , 23 outubro 2020
Janeiro está sendo atípico, pois as médias de chuva para este mês são elevadas no Sudeste

Grande parte da região deve sentir a falta de chuva até o fim do mês

Alagamento em Pádua em janeiro de 2018

Ruas alagadas, enxurradas, transbordamento de córregos e até granizo. Essas foram as manchetes na região no mês de janeiro de 2018, mas nesse ano a situação é outra. Mesmo estando na estação considerada “das chuvas”, tem chovido pouco no Norte e Noroeste do Rio.

Segundo a meteorologista Josélia Pegorim, da Climatempo, a Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) ganhou força no começo do ano e reduziu as áreas de instabilidade, e consequentemente a nebulosidade e a frequência da chuva na Região Sudeste. “A intensificação da ASAS já pode ser considerado um efeito do processo da formação do El Niño”, completa a meteorologista.

Muitas horas de sol forte e pouca ou nenhuma chuva têm feito as temperaturas ficarem altas e o calor intenso está incomodando muito gente. E, infelizmente, a previsão aponta que a segunda quinzena de janeiro ainda deve ser marcada por tempo seco ou pouca chuva no norte/noroeste do Rio de Janeiro. Apenas na região Serrana/centro-sul do Rio que a chuva pode ser mais frequente.

Mais do SFn