Governo do RJ inicia pesquisa sobre imunidade da população para coronavírus A partir de uma amostra sanguínea, será possível, por testes rápidos, verificar a presença de anticorpos de fase aguda (IgM) ou de memória (IgG) de proteção contra o coronavírus, desenvolvidos em resposta a uma infecção prévia pelo vírus

A partir de uma amostra sanguínea, será possível, por testes rápidos, verificar a presença de anticorpos de fase aguda (IgM) ou de memória (IgG) de proteção contra o coronavírus, desenvolvidos em resposta a uma infecção prévia pelo vírus

Para acompanhar a evolução da imunidade para Covid-19 da população do Rio de Janeiro, a Secretaria de Estado de Saúde inicia nesta quinta-feira (30) uma pesquisa de amostragem em pessoas assintomáticas. Pacientes atendidos em unidades estaduais da Região Metropolitana sem apresentar sinais da doença poderão participar do estudo. A partir de uma amostra sanguínea, será possível, por testes rápidos, verificar a presença de anticorpos de fase aguda (IgM) ou de memória (IgG) de proteção contra o coronavírus, desenvolvidos em resposta a uma infecção prévia pelo vírus. Em todo o mundo, estima-se que a maior parte de contaminados por coronavírus não apresente sintomas. No total, a pesquisa testará 1.800 pessoas e será feita a partir de amostras de sangue colhidas normalmente durante a internação ou através de sangue da ponta de dedo, por punção digital. O resultado positivo para IgG indicará que o paciente já teve Covid-19, mesmo que tenha sido assintomático, e possivelmente está protegido contra ela. Já se apenas o teste para IgM for positivo, o paciente não é considerado imunizado e é possível que ainda haja vírus no organismo no momento da coleta do material.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, as conclusões da pesquisa nortearão a elaboração de políticas públicas de saúde mais eficientes para o combate do coronavírus. “Os assintomáticos da Covid-19 são uma realidade difícil de dimensionar, mas fundamentais para traçarmos um perfil epidemiológico do Rio de Janeiro para a doença. Os indicadores também vão reforçar nossa recomendação de isolamento social. Pessoas saudáveis em áreas epidêmicas podem estar infectadas e contaminando outras, mesmo sem saberem. Num segundo momento, vamos correlacionar a prevalência do vírus no estado com fatores demográficos e socioeconômicos para direcionar estratégias personalizadas para cada região “, diz.  A coleta de amostras para a pesquisa será realizada entre os dias 30 de abril e 15 de maio. Mediante autorização, serão testados os pacientes sem sinais ou sintomas de Covid-19 que derem entrada em unidades da rede estadual na Região Metropolitana. Os pacientes receberão o resultado dos exames rápidos ainda durante o atendimento.

Mais do SFn