terça-feira , 20 outubro 2020

Governo do Rio cria grupo especial para combater tráfico de armas

arma
Fotos: Vinnicius Cremonez

A partir do próximo dia 23, um núcleo de inteligência integrado pelas polícias Civil, Militar e Federal vai ampliar a atuação no combate a crimes transnacionais, como o tráfico de armas.

Batizada de Minimissão Suporte pelo secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a estratégia já foi aprovada pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. O núcleo de inteligência, vai investigar grandes casos, desde a entrada de armas e outros equipamentos no Rio às drogas que vêm de outros estados, informou o secretário de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame.

“Não podemos esperar o resultado do rastreamento dessas armas para estabelecer rotas e, a partir daí, começar a trabalhar. Muitas vezes, o fabricante internacional não tem interesse em fornecer dados sobre os compradores, já que produz e vende armas conforme a legislação do país de origem.”

armasO aumento no volume de armas apreendidas no início deste ano, principalmente fuzis, imprimiu celeridade à proposta. Oitenta e nove fuzis foram apreendidos entre janeiro e fevereiro de 2015 – o dobro se comparado ao mesmo período do ano passado. A maior parte do armamento foi fabricada, há pouco tempo, em países como Áustria e Ucrânia – ao contrário do histórico de apreensões no estado.

Os agentes da Minimissão Suporte já passaram por avaliação da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança. O efetivo será integrado à Força Nacional e passará por treinamento na Academia Nacional de Polícia, em Brasília, na próxima semana. Os policiais poderão agir em todo o Brasil.

policia militar

Mais do SFn