segunda-feira , 6 julho 2020

Festa de São Fidélis: uma história de 238 anos Mesmo que as festividades tenham sido canceladas devido à pandemia, a Igreja Matriz não deixou de festejar São Fidélis de alguma forma

Mesmo que as festividades tenham sido canceladas devido à pandemia, a Igreja Matriz não deixou de festejar São Fidélis de alguma forma

A tradicional Barraca da Festa

Caros leitores, sou Evando Freitas e hoje vamos falar sobre a festa do padroeiro do município de São Fidélis. A história de São Fidélis é longa, e poucos conhecem as nossas raízes culturais. Em São Fidélis, passando o carnaval, a grande maioria das pessoas já pensam no que será feito no mês de abril e quais shows irão se apresentar para a população por ocasião das festividades do Padroeiro da cidade, São Fidélis de Sigmaringa, mas esse ano, devido à pandemia, todas as festividades que geram aglomerações foram canceladas. Mesmo assim, a Igreja Matriz não deixou de festejar São Fidélis de alguma forma, então decidimos contar esse ano como se tivesse havido a festa. A festa de São Fidélis é realizada exatamente há 238 anos. Isso mesmo! Já se comemorava antes mesmo de sermos vila, freguesia ou cidade.

Frei Ângelo e Frei Victório, quando saíram da Itália com destino à África, já tinham escolhido o nome das missões que iriam fazer. Destinados a outro rumo, vieram para as Américas, mais especificamente para o Brasil. Quando chegaram às terras de nossa região, em 27 de setembro de  1781, no local chamado Gamboa, já traziam com eles as imagens de São Fidélis de Sigmaringa e de São José de Leonissa (Levado para Itaocara). Como a data de martírio de São Fidélis de Sigmaringa é dia 24 de abril, no ano que chegaram não houve tempo de celebrar as festividades em honra ao santo, mas no ano seguinte, no mês de abril de 1782, já se celebrou a festa em honra a São Fidélis. Sendo assim, a festa religiosa mais antiga de toda a região, diz Frei Ângelo em suas memórias, ocorreu em 1782 “com muita pompa e solenidade”. A festa em honra ao grande mártir da fé. Desde então, todos os anos se comemora em abril a festa do padroeiro.

Anos se passaram e a festa religiosa se misturou com a festa dita “mundana”, assim, várias atrações não religiosas começaram a acontecer na mesma época da festa. Em décadas como 1990 e 2000, a festa era grandiosa, com muitos shows a nível nacional, parque, barraquinhas e fogos, e no dia 24 de abril sempre se apresentava um cantor católico. Nos últimos anos, essa festa perdeu um pouco do seu “brilho” voltando-se mais especificamente para seu lado religioso, por vários motivos, dentre eles crise financeira e falta de parceria com o poder público, mas aos poucos a grandiosidade foi voltando. Tema de poemas, histórias, lendas e livros, a festa de São Fidélis sempre foi a alegria do povo fidelense, e ainda continua sendo, embora em menor proporção.

Referências bibliográficas
BALBI, Aloysio. São Fidélis, A história consagrada. Rio de Janeiro: Gráfica & editora Minister, 2009.
CARNEIRO, Aurênio Pereira.História das principais avenida, praças, ruas e jardins.São Fidélis,1974.
PALAZZOLO, Frei Jacinto de.História da Cidade de São Fidelis.Rio de Janeiro: Gráfica e Editora Rio São Paulo LTDA,1963.
SEIXAS, Ruy Fernandes. Nosso Progresso. Campos dos Goytacazes: M.Zulchner& Cia.1930.

Mais do SFn