Fernando Ferry pede demissão da Secretaria Estadual de Saúde

Ferry é o segundo secretário de saúde a deixar o cargo em meio à pandemia. O coronel médico do Corpo de Bombeiros Alex Bousquet será o novo secretário de Estado de Saúde
Fotos: reprodução

Em pouco mais de um mês no cargo, o secretário estadual de Saúde, Fernando Ferry, pediu demissão nesta segunda-feira (22/06). Em um vídeo enviado ao Bom Dia Rio, da TV Globo, Ferry disse que tentou resolver os graves problemas da saúde no estado. “Hoje estou pedindo exoneração do meu cargo de secretário de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Queria dizer que eu tentei. Eu agradeço ao governador por ter me dado esta oportunidade de tentar resolver estes graves problemas que estamos vendo na saúde. Eu só queria dizer mais uma coisa: peço desculpas à população. Mas, a única coisa que eu tenho a falar: eu tentei. Obrigado e espero que vocês me desculpem”, disse Ferry no vídeo. Ele é o segundo secretário de saúde a deixar o cargo em meio à pandemia. O primeiro foi Edmar Santos, e Ferry foi anunciado no dia 17 de maio para substituir o então secretário.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) vem sendo alvo de operações em decorrência de investigações sobre fraudes em licitações na compra de respiradores pelo estado para o combate à Covid-19. Entre os presos nessas operações estão Gabriell Neves, que foi subsecretário de Saúde do estado, e Gustavo Borges, que sucedeu Gabriell na pasta. Em nota enviada a imprensa, o governo do estado informou que o coronel médico do Corpo de Bombeiros, Alex Bousquet, será o novo secretário de Estado de Saúde. Graduado pela Uerj, Bousquet atua há 20 anos nos Bombeiros, é especialista em terapia intensiva pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB). Foi diretor do Iaserj (Instituto de Assistência aos Servidores do Estado do Rio de Janeiro) e trabalhou como médico de resgate para a Petrobras entre 2008 e 2012, na Bacia de Santos. Tem pós-graduação em Gestão Operacional nas Organizações de Saúde pela Fundação Ceperj e MBA Executivo em Saúde pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

VEJA MAIS

VEJA MAIS