Eternizada! Com plantio de Ipê, professora Sônia Sóta, vítima da Covid-19, é homenageada em São Fidélis

Projeto "Raízes que Ficam" busca criar um memorial com plantio de árvores no Horto Municipal em homenagem às vítimas da Covid-19 em São Fidélis
arquivo

Localizado na Vila dos Coroados, o Horto Municipal de São Fidélis é local importante para muitos fidelenses. Um local que nos traz à memória momentos marcantes vividos em meio à natureza. Tem quem participou da famosa Festa da lagosta, que fez o município ser conhecido como “Terra da Lagosta”, e tem quem se lembra dos tradicionais “domingos no horto”. São momentos especiais que fazem do horto um local de memória; de momentos eternizados. E vai ser no horto municipal que ficará eternizada a lembrança de pessoas inesquecíveis, pessoas que perderam as suas vidas lutando contra um inimigo invisível; doença que destruiu famílias e sonhos. Através do projeto “Raízes que Ficam”, idealizado pela Secretaria de Desenvolvimento Ambiental, será feito um memorial em homenagem às vítimas através do plantio de árvores, fincando no horto as raízes, os legados e a memória das vítimas da pandemia. A família que desejar fazer o plantio deve procurar a secretaria.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

continua após a imagem

A primeira homenageada foi a ilustre Professora Sônia Regina Sóta Quintan, que deixou um legado na educação, na cultura e na arte fidelense. Sônia nos deixou em maio do ano passado, mas jamais será esquecida! Para homenageá-la foi plantada uma muda de ipê rosa. “Foi plantado um pé de ipê rosa que ficará por gerações no nosso horto municipal, ajudando a eternizar ainda mais a memória dessa mulher extraordinária que viveu pela sua família, amigos e alunos”, publicou o sobrinho de Sônia, o fotógrafo Bruno Sóta. Além de alguns familiares, estiveram presentes professoras do Colégio Estadual e alguns integrantes do grupo teatral Máscaras, criado por Sônia.

“Estamos colhendo homenagens a ela e sei que é só o começo. Nós familiares ficamos muito felizes em ver o tamanho do carinho e reconhecimento que os fidelenses têm pela minha Tia Sônia. Ela foi uma pessoa ímpar no nosso município e ficou enraizada na nossa história”, disse Bruno ao SF Notícias.

“A perda repentina de minha mãe pra essa doença que no momento era desconhecida doeu e ainda dói profundamente em mim, minha família e em todos que tiveram a oportunidade de compartilhar parte da vida com ela. Mas pela mulher forte que ela foi, mãe, amiga, professora, artista, sonhadora e realizadora, me sinto no dever de tentar ser feliz todos os dias e espalhar o seu legado por aí. Essa homenagem da Secretaria do Meio Ambiente me emocionou muito, pois pude sentir o quanto ela é amada e admirada. Minha mãe é uma raiz que ficará para sempre na nossa cidade e nos nossos corações”, disse Barbara Sóta, filha de Sônia.

VEJA MAIS

VEJA MAIS