Detentos fazem rebelião na Cadeia Pública de Campos

presídio de campos
Fotos: Ururau / Vinnicius Cremonez

Uma rebelião na Cadeia Pública Dalton Crespo de Castro fez com que policiais de outras cidades fossem deslocados para Campos. A rebelião teria começado por volta das 23h da noite deste sábado, e os presos conseguiram abrir todas as celas do primeiro pavimento.

Os detentos colocaram fogo em alguns colchões, e durante a madrugada foram ouvidos barulhos de explosões. Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para apagar o fogo e fazer o resgate de possíveis feridos, mas até o momento, não confirmaram se existem detentos feridos e se houve reféns.

Até então, o 8º Batalhão de Polícia Militar não estava sabendo e não tinha sido acionado, até depois de diversas ligações feitas por jornalistas de vários veículos de comunicações, a sala de operações entrou em contato com o presídio para saber sobre o caso, e somente após essa ligação, a PM foi deslocou todo o se efetivo para as mediações da cadeia. escolta 23Apenas agentes do Serviço de Operações Especiais(SOE), que é responsável pelas transferências de presos e segurança dos presídios, teve acesso a unidade. A Polícia Militar não interviu nas negociações, apenas fez com cordão de isolamento par impedir que dezenas de familiares que foram para o local, chegassem próximo a unidade.

Com a rebelião, viaturas dos batalhões de Santo Antônio de Pádua, Macaé e Itaperuna foram deslocadas para Campos, e policiais do 6º Comando de Policiamento de Área(CPA) também foram acionados.

Segundo informações obtidas por nossa equipe, a rebelião começou após os detentos ficarem sabendo da possível transferência de 150 presos para o Complexo Penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro. Ainda segundo informações, a situação teria sido controlada na manhã deste domingo, e alguns presos foram transferidos para o Rio, pois celas ficaram danificadas durante a rebelião.

Segundo a secretaria de segurança pública do estado, a rebelião começou após ma briga na cela 4 e presos das celas 3 e 5 também teriam se envolvido. Cerca de 238 presos se envolveram na rebelião e serão transferidos para o Complexo Penitenciário de Gericinó em Bangu. Algumas pessoas ficaram feridas, entre elas, um agente penitenciário.

Mais do SFn