Delegada disponibiliza número pessoal para orientar mulheres vítimas de violência durante a pandemia

Casos de violência contra a mulher têm aumentado neste período de pandemia. Vítimas podem entrar em contato através do WhatsApp
Fotos: reprodução redes sociais

Em meio à pandemia de um vírus que já vitimou milhares de pessoas pelo mundo, um fato preocupante chama a atenção: o aumento no número de casos de violência contra a mulher, seja ela física, psicológica, sexual, patrimonial ou moral. Segundo dados da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, esse tipo de violência cresceu em torno de 28% no país somente em abril, em comparação com o mesmo período do ano passado. Buscando auxiliar mulheres e até adolescentes, que possam estar sofrendo algum tipo de violência dentro de suas casas, a Delegada Flávia Granado, responsável pela 30ª Delegacia de Polícia Civil de Pirapetinga, município vizinho a Santo Antônio de Pádua, disponibilizou seu número de WhatsApp para que as vítimas busquem orientações. Ela destaca que em São Fidélis, no Norte Fluminense, há uma farmácia participante da campanha nacional do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Com o isolamento social, as mulheres enfrentam ainda mais dificuldades em denunciar os agressores e através da campanha elas podem ir até a farmácia, com um X escrito nas mãos. (continua após a publicidade)

“Essa mulher tem que procurar a farmácia cadastrada para fazer a denúncia. Porque, a grande dificuldade é denunciar quando ela está com o agressor. Na farmácia há funcionários capacitados para atendê-las. A mulher basta fazer um sinal vermelho na mão, e a farmácia uma ligação para a polícia. De forma discreta poder denunciar” – explica a delegada. Ela lembra ainda que as mulheres também podem recorrer ao número 180, específico para atendimento de casos de violência contra a mulher. Já através de seu número pessoal, ela estará orientando as vítimas. “Nesse período de pandemia disponibilizei meu número pessoal para que mulheres vítimas de violência doméstica possam entrar em contato comigo, para orientar essas pessoas. A orientação vai depender de cada caso, às vezes procurar uma delegacia, às vezes uma ajuda psicológica. Inclusive há uma psicóloga que está conosco nessa campanha” – relatou. O número da delegada é +55329823-3187. Para entrar em contato basta enviar uma mensagem com o texto: #precisodeajuda.

VEJA MAIS

VEJA MAIS