Crueldade: oito cachorros são encontrados mortos com sinais de envenenamento em distrito de Itaocara

Animais foram encontrados mortos em um pasto, onde também havia urubus mortos. Segundo uma moradora, os animais eram todos muito bem tratados
Fotos: Reprodução/ Redes sociais

Cerca de oito cachorros foram encontrados mortos com sinais de envenenamento em um pasto, na altura do bairro Oricana, em Jaguarembé, distrito de Itaocara, no Noroeste Fluminense. O caso gerou revolta entre os moradores. Segundo uma moradora, que encontrou seu cachorro ‘Nego’, da raça Pinscher, morto no local, os animais eram todos muito bem tratados. “Um amigo que estava me ajudando a procurar o meu quem achou o cemitério de cachorro” – relata.

Tem Instagram ❓❓ Siga o SF Notícias no Insta > @sfnoticias

Ainda segundo a moradora, urubus, que teriam se alimentado dos cães, também foram encontrados mortos, além de um gato, que foi achado em uma estrada, com sinais de envenenamento. O cachorro dela desapareceu na tarde de segunda e foi encontrado morto nesta terça.

Em setembro do ano passado o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que aumenta a pena para quem praticar atos de abuso, maus-tratos ou violência contra cães e gatos. O crime passa a ser punido com prisão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda. Antes, a pena era de detenção de três meses a um ano, além de multa.

“Quem não demonstra amor por um animal como um cão, por exemplo, não pode demonstrar amor, no meu entender, por quase nada nessa vida”, afirmou Bolsonaro durante a cerimônia em que a lei foi sancionada.

O projeto sancionado altera a Lei de Crimes Ambientais para criar um item específico para cães e gatos, que são os animais domésticos mais comuns e principais vítimas desse tipo de crime. A pena de reclusão da nova lei prevê cumprimento em estabelecimentos mais rígidos, como presídios de segurança média ou máxima. O regime de cumprimento de reclusão pode ser fechado, semiaberto ou aberto.

VEJA MAIS

VEJA MAIS