terça-feira , 27 outubro 2020

Copa do mundo: Como anda o entusiasmo dos fidelenses às vésperas do torneio.

CAM00457
Pinturas de copas anteriores resistem ao tempo

Faltando 34 dias para a copa do mundo, o que se nota em São Fidélis é a desmotivação das pessoas em relação ao torneio; prova disso, é o fato das ruas da cidade não estarem enfeitadas com bandeiras, pinturas e fitas da seleção brasileira, como era de costume em muitos bairros em outras copas.

O motivo que se pode imaginar, seria a desaprovação das pessoas pela copa estar sendo no Brasil este ano, com o custo podendo atingir R$ 30 bilhões e ainda existindo muitos problemas mal resolvidos no país.

Para descobrir se há verdade nesta afirmativa, nossa equipe foi as ruas perguntar as pessoas sobre o que elas acham dessa desmotivação; e também saber de vendedores de lojas esportivas, se a procura por camisas e outras mercadorias da seleção brasileira estão em alta.

CAM00449
Dona Elza quer manter viva a tradição.

Dona Elza de 67 anos, residente da rua Gustavo José de Souza no bairro São Vicente, contou que antigamente na sua rua os vizinhos se juntavam, cada um dava um pouco de dinheiro e depois iam comprar rolos de fitas e outras coisas da seleção brasileira para enfeitar, todo mundo ajudava e hoje vê que as pessoas não estão mais motivadas para fazer isso.

“Pretendo fazer esses enfeites nas ruas novamente este ano, vou conversar com meus vizinhos para ver se eles animam.” Completou Elza.

Proprietário de uma loja de esportes à 23 anos, Ernandes afirmou que a procura por camisas da seleção brasileira este ano, está muito fraca em comparação aos outros anos de copa, e que está evitando encomendar novas camisas pelo risco de não conseguir vender.

Moradora da Vila dos coroados, Edimar Maurício de 59 anos, disse estar revoltada com a copa este ano no Brasil e que por isso não está animada em fazer os enfeites nas ruas como antes, e acha que 80% da população pensa como ela.

“Na minha rua enfeitavam tudo para a copa, uns davam dinheiro, outros bandeiras, mas hoje ninguém nem comenta sobre isso, acho que vão ser poucos os bairros à fazerem os enfeites nas ruas esse ano.” Relatou Edimar.

Fabrício Borges Campos, proprietário de uma loja de produtos esportivos à 26 anos, relatou que as vendas estão melhorando e que acredita aumentar ao decorrer que a copa estiver se aproximando; e para aqueles que deixarem para comprar na ultima hora,  não encontrarão os produtos, pois sua expectativa é de que o estoque acabará rápido.

Com 1 ano de profissão no ramo de materiais esportivos, Marcio Peres disse que a procura por enquanto está razoável, mas a sua expectativa é que melhore.

“As pessoas estão comprando camisas de outras seleções, por talvez estarem desgostosos com essa copa no Brasil, um fator que pode explicar a baixa procura pelas camisas da seleção brasileira.” Explicou o vendedor.

Mais do SFn